Salário de Engenheiro Civil

A discussão é já antiga. Quando ganha/deve ganhar um engenheiro civil?

Na minha opinião, um recém-licenciado (ou recém-mestrado) no mínimo dos mínimos deverá ganhar duas vezes o ordenado mínimo nacional. Ora actualmente o salário mínimo é 475€ (com tendência a subir para 500€ ainda este ano), pelo que o salário mínimo de um Engenheiro Civil deveria ser 950€. No Brasil, por exemplo, ganha-se 12 vezes o ordenado mínimo nacional (sim, 12!). Mas esta grande diferença tem a ver com o facto de o ordenado mínimo brasileiro ser mesmo muito baixo.

Considerando que recebe 950€ enquanto estagiário, um engenheiro civil deverá receber 1200€ a 1500€ após estágio. Existem muitas variáveis em jogo pelo que não é fácil atribuir um salário base para um engenheiro civil. À partida um engenheiro de obra recebe mais que um de gabinete (por conta de outrem). É necessário fazer a opção entre trabalhar poucas horas e receber pouco, ou trabalhar muitas horas e receber muito. É preciso também ter em atenção às regalias oferecidas, nomeadamente, internet, telemóvel, viatura, entre outros.

Claro está que mal se saia da Universidade vai-se receber propostas de emprego recebendo 750€ (para não dizer menos) sem qualquer regalia “extra”. Isto deve-se à crise, saturação do mercado e excesso de Engenheiros Civis em Portugal.

Ultimamente tem-se verificado que as empresas fazem renovação de estagiários, isto é, as empresas oferecem o primeiro emprego a recém-licenciados e recebem as benesses que daí advêm. No entanto, quando acaba o contrato, este não é renovado pelo que a empresa contrata um novo trabalhador “lowcost” (estagiário diferente). Nos primeiros anos o ordenado não vai reflectir aquilo que o engenheiro faz. Obviamente que aqueles que melhor desempenharem a sua função, verão os seus ordenados a aumentar, ao longo de todo o percurso profissional.

Mas com a crise que assola Portugal, arranjar emprego é, por si só, uma grande sorte.

Será a Engenharia Civil um emprego bem pago?


115 comments

  1. Alexandre diz:

    Bom Post!
    É um emprego muito mal pago. Tive um ano sem emprego, depois pelo factor “C” (leia-se cunha) entrei para uma pequena empresa na qual estou a receber 600 mensais sem nenhuma regalia extra.
    E andei a estudar 5 anos para isto

  2. Bruno Torre diz:

    Muito bom este post! Mas eu penso que fundamentalmente é importante a universidade onde estudamos. Eu particularmente ando na UTAD e tenho algum receio, pois penso que não é uma universidade muito conceituada.

    • Obrigado pelos elogios. Sim, de facto a universidade é importante, mas não é o mais importante. Mas isso será um assunto que abordarei nos próximos dias. Mantenha-se atento 🙂

      • Teves diz:

        Olha cá na minha zona (Região Insular), quase todos os recém formados do IST e FEUP (defendidos por muitos como os melhores) estão no desemprego, os restantes têm-se mantido. Poderá ser um indicador.

  3. Liliana diz:

    Já deve ter sido bem pago. Atualmente o desemprego é uma certeza cada vez mais certa!

    Qualquer dia, nós engenheiros (sou engenheira civil há mais de 10 anos) pagamos para trabalhar. Salários miseráveis, poucas ou nenhumas regalias, muito trabalho e imensa responsabilidade.

    O que está na moda é ser-se engenheiro “facilitista” e não quem realmente honra principios básicos da profissão. Esses? Como já me disseram “não vai sair da “cepa torta””.

    E agora, os novos cursos de Bolonha, o descalabro chegou à profissão! 4 anos de frequência e não sabem o que é uma “cantaria”…

    Sinceramente? Estou desiludida!

    • É sempre de lamentar o estado a que isto chegou. Mas não é só na Engenharia Civil. É em quase tudo. Cada vez é mais dificil “arranjar” emprego e quando se “arranja” é ridiculamente mal pago. Mas melhores tempos virão (esperemos nós).

  4. monica diz:

    os elogios nunca são poucos: excelente blogue!
    estou completamente de acordo com a opinião da Liliana, às vezes interrogo-me se esta profissão é para mulheres ;DD

    • Obrigado mónica pelo elogios 🙂
      Claro que também é uma profissão para mulheres. Mas é um facto que estas têm maiores dificuldades de adaptação ao trabalho de obra. Mas penso que haja espaço para todos.

  5. Liliana diz:

    Mónica, em obra não existe problema algum. Apenas te queimas mais e apanhas mais pó. Mas quando é para trabalhar não interessa o local.

    Há muita discriminação é na contratação de mulheres para a Direcção de Obra. Muitos patrões, por vezes, tem outras intenções!

    Gosto de ser engenheira, mesmo que às vezes me depare com imensas dificuldades em o ser na amplitude da profissão e monetáriamente esteja longe de compensar.

    • Cris diz:

      Aqui no Brasil não existe esse preconceito contra mulheres, todas estão bem empregadas e bem remuneradas. Eu não sabia que pagam tão mal um engenheiro por ai, pagam menos que pagam para um técnico por aqui.
      O salário inicial de um engenheiro é de 5000 reais, o salário mínimo do Brasil hoje é de 678 reais. Com dois anos de experiência dependendo da competência, o salário pode pular para 8000 reais, ou mais. O mercado está bom, mas lógico que só os bons são valorizados. Por isso pode sim ter engenheiro ganhando menos da média. Lógico que é um pouco complicado comparar salários, pois o custo de vida aqui é mais caro na maioria da coisas, e por exemplo, morar em São Paulo é bem mais caro do que morar em Lisboa. Então tudo isso tem que ser analisado. Mas para nós brasileiros, esse salário de engenheiro está bom se for comparar com outros profissionais. E dá para ter um padrão de vida bom por aqui. Isso que tem que levar em consideração.

      • Gabriel diz:

        Sou Engenheiro Agrícola e moro no Estado do Rio de Janeiro (Amplamente urbanizado), ainda me encontro em estágio acadêmico (doutorado) e já cheguei a receber 8 mil! (6.600 atuais), porém o custo de vida por aqui no Rio não me possibilita a compra de um imóvel com este salário, superior a R$ 200.000 (em 10 anos)! Pesquisando no ebay, pode-se quitar uma casa no bairro do Queens, em Nova Yorque em dois anos, e comprar um New Beetle 2002 e sobrar dinheiro para viver com o primeiro salário!

  6. bruno diz:

    Com sorte ainda levamos porrada pelo patrão não pagar aos subempreiteiros…

    • Liliana diz:

      A situação mais complicada que tive a nível de ameaça física, foi quando, tinha acabado de ser contratada por uma empresa fazia uma semana e desloquei-me a uma obra onde um funcionário me apontou uma rama branca e exigiu-me o dinheiro que essa empresa lhe devia. Valeram-me os colegas dele que o acalmaram e o chamaram à razão, dizendo que eu não podia fazer nada… Sou fiquei nessa empresa 15 dias!

      • Hugo diz:

        Quero partilhar um pouco a minha experiência.
        Terminei o curso em Julho 2005 na U.Minho. Logo em Setembro comecei a trabalhar e a ganhar uns míseros 400euros mensais. Não durou muito a procurar algo melhor.
        Encontrei, passados 6 meses, e fui ganhar logo 1000€ + carro de empresa.. era mt bom para quem tinha 6 meses de experiência pois a maior parte dos meus colegas ganhavam uns 750€ de estagio profissional. passado 2 anos troquei de empresa e fui ganhar 1500€. mas como não há bem sem um mal, o ambiente de trabalho era péssimo e tive de sair logo após o 5º mês. Retomei aos 1000€ e sem carro de empresa.
        Conclusão, com 5 anos de experiência de engenheiro em obra, ganho o mesmo de qd tinha 6 meses e ainda por cima tenho de me deslocar com o meu carro para a sede da empresa.
        Havendo trabalho e salário, nos tempos de crise que estamos, já não é mau!!

        • Paulo diz:

          Estou no 11 Ano e a média não é das melhores, e quando vi nas opções engenharia civil, fiquei contente pois gosto muito de “trabalhar em campo” e principalmente da própria engenharia em si. Decidi informar-me melhor acerca deste emprego chegando até aqui, comecei a ler os primeiros comentários e todos se baseiam nos seguintes temas “desemprego”, “mau ordenado”, etc … fiquei com a sensação de que é uma ideia perdida, pois quero assegurar o meu futuro :/ A MINHA PERGUNTA É : Vale a pena ser engenheiro civil em Portugal ?

          • Fernando diz:

            Escolher Engenharia civil so porque a tua media “nao e das melhores” nao e um bom principio!
            E um curso exigente e a tua preparacao e essencial!
            Sou Engenheiro Civil ha 11 anos, entrei na FCTU Coimbra com media de 17/20 … porque queria ser Engenheiro Civil formado por uma Universidade Prestigiada.
            O balanco ao fim de 11 anos (5 anos passados em Portugal e os ultimos 6 no estrangeiro) e que esta e uma profissao desgastante e exigente mas e tambem gratificante .
            Relativamente as condicoes salariais e regalias sempre me considerei bem pago mas tambem sempre trabalhei para isso!
            E obvio que a situacao em Portugal neste momento e dramatica, masi para quem esta a comecar, mas continua a ser uma profissao que te abre muitas possibilidades, masi se considerares fazer carreira no estrangeiro!
            Posso assegurar que os Engenheiros Portugueses sao benvistos no estrangeiro mas isto depende obviamente do desmpenho de cada um
            Um abraco futuro(a) colega

  7. Miguel diz:

    Antes de mais, quero deixar os meus parabéns ao criador deste blog. Estava a passear pela Internet e vim dar, sem querer, com este excelente blog, que na minha opinião já possui (tendo em conta que foi criado à pouco tempo) alguns assuntos muito interessantes, e que já responderam a algumas dúvidas que eu tinha.

    Gostei bastante deste Post, muito informativo, para um aluno de engenharia civil do 1º ano de mestrado, sem qualquer tipo de experiência profissional!

    É sempre bom saber que o futuro profissional que se avizinha não parece muito risonho em termos monetários. Bastante animadora a realidade…

    Excelente post. Bastante esclarecedor. No que puder, procederei à divulgação deste blog.

    Continuação do bom trabalho.

    • Inaa diz:

      Olá!! Eu tenho 16 anos e estou no 11º anos, em Artes Visuais, estava a pensar em seguir arquitectura mas estou a desistir dessa ideia porque para além de não ter média suficiente, ja sei que as condiçoes de trablho nao são as melhores( falo de salarios, recibos verdes, etc). A minha segunda opção é Engenharia civil, então gostava que me dissesses em que universidade estás, com que média entraste e o que estás a achar do curso até agora. Obrigada!!
      Ah e gostei do blog =D

  8. José Santos diz:

    Excelente blog desde ja muitos parabens, estou no 12 ano a camainho da universidade estou no curso ciencias e tecnologias e estou a pensar seriamante seguir engenharia civil so que nao sei bem se ei-de escolher ou nao primeiro estou com receio de entrar e ficar bastante desiludido ou pela materia ser dificil ( que todos os cursos sao) ou entao por passar 5 anos a matar-me ao duro e depois acabar com um ordenado misere alguem me poderia dar uma opiniao ‘
    desde ja muito obrigado

    • Na escolha de um curso tens que ver aquilo que realmente gostas. Se gostares de Engenharia Civil, fores bom a Matemática e a Física, fazes o curso com uma perna atrás das costas.
      Quanto às prespectivas de Emprego, o país está como está e não é fácil arranjar emprego em quase tudo. E se calhar engenharia civil, por muito má que esteja a empregabilidade neste sector não é a pior das opções.

  9. mário diz:

    Parabéns pelo excelente blog

    Antes de mais começo por fazer uma correcção ao post inicial.
    “ É necessário fazer a opção entre trabalhar poucas horas e receber pouco, ou trabalhar muitas horas e receber muito”
    Provavelmente oa colega não tem conhecimento das duas realidades.
    Se trabalhar num grande gabinete de projecto trabalha muitas horas pode ou não ganhar bem, como também se trabalhar em direcção de Obra pode trabalhar muitas horas e ganhar mal…
    Cada situação é diferente…depende de vários factores….pelo que essa frase é um tanto ou quanto vazia de certeza.

    Relativamente a questão que é colocada eu diria que os Engenheiros são muito mal pagos tendo em conta a responsabilidade, o tempo de trabalho em média…as “dores de cabeça”…etc…
    Hoje em dia reparo que os colegas recém licenciados só para estar a “ trabalhar” sujeitam-se a tudo…ganhar quase nada…. ou mesmo de graça…dizem eles que é para ganhar Experiência… muitos deles não sabem a responsabilidade que estão assumir……

    Vemos outros que fazem projectos de todas as especialidades por tuta e meia….dizem eles que é a crise…seguro!!!!…software!!!!…impostos!!!!!…nada disso….não é necessário….o tuga é habilidoso

    O cliente não tem dinheiro para pagar os projectos a preços decentes mas depois tem dinheiro para comprar um candeeiro XPTO…ou uns sofás italianos……

    Em Espanha…se querem um projecto todos os custos são pagos ás Ordens e são eles que pagam os honorários…

    A crise não pode ser justificação para tudo….não é de certeza…

    Temos um ORDEM que apenas cobram cotas e emitem declarações….VERGONHA…nada faz para defender os seus membros…

    Acima de tudo queria dizer que é responsabilidade de cada um de nós tentar mudar esta mentalidade corrupta…exploradora…e denunciar estas atitudes PODRES e VICIADAS da nossa classe.

    Cumprimentos

    • Se calhar fui mal interpretado. O que eu quis dizer é que para se ganhar bem é preciso trabalhar muito. O que não quer dizer necessariamente que se trabalhar muito vai-se ganhar muito. Isto é como um quadrado que é um quadrilátero, mas um quadrilátero não é necessariamente um quadrado.

  10. Liliana diz:

    O Mário tem toda a razão… Engenheiro Civil mais parece um desenrasca por tuta e meia… Mas e a responsabilidade? Como é?

    Estou a título pessoal a ter problemas com isso de encaixar “responsabilidade”… Vou relatar o meu caso aos responsaveis do Blog e se estes o entenderem, que publiquem a minha história e que esta ajude colegas a se precaverem…

    A nova moda dos empregadores de engenheiros civis é contratar colegas inscritos no Fundo de Desemprego…

    É secundário, terciário se temos diversas formações, experiência… O que interessa aos patrões é ir buscar uns trocos ao Estado para tirar, temporáriamente, da estatística de desempregados…

    Respondi a um anúncio enviando o meu curriculo com dez anos a exercer a profissão e recebo as seguintes questões por mail

    “Desde já agradeço o facto de nos estar a enviar o seu currículo, sendo que gostaria de obter as seguintes respostas?

    1. Qual a sua situação actual a nível Professional?

    2. Qual o valor do seu ultimo vencimento e data do mesmo?

    3. Em caso de acordo qual a sua disponibilidade para começar?

    4. Caso esteja em regime de fundo de desemprego, quantos meses ainda usufrui e qual o valor que recebe?

    Agradeço antecipadamente as respostas”.

    Achei estranhas as questões, mas lá respondi que estava a trabalhar e demais questões colocadas…

    Recebo como resposta: só estamos interessados em quem esteja no Fundo de Desemprego…

    ………

  11. Alexandre Gomes Araujo diz:

    Desde ja começo por dar os parabéns por este blog! Ja vi que vocês tem varias opiniões à cerca da nossa profissão, daí eu tambem deixar a minha crítica, eu tambem tou a exercer a profissão, tirei o curso no politécnico de bragança, os primeiros meses de trabalho foram bastantes trabalhosos, acarretava ja alguma responsabilidade e o salario era miseravel. Passado um ano, ja com alguma experiência, deixei de trabalhar para a empresa e comecei por conta própria, e ai o meu salário triplicou. Pessoal não se deixem explorar, a muitos patrões que vivem bem as vossas custas, sejam mais inteligentes do que eles e mandem-se para o mercado de trabalho sozinhos (com alguma experiencia profissional claro). Conseguem ganhar muito mais e não trabalham tanto, muito boa gentinha se desculpa com a crise para explorar os empregados. Sejam profissionais,dedicados, e desenrascados, são a chave para o sucesso. A nossa profissão é de grande responsabilidade, não podemos deixar que não nos dêem o devido valor por isso. Não se esqueçam que a muitos engenheiros que ficaram sem carteira profissional, com processos pesados em tribunal.Tenham cuidado da maneira que elaboram o projecto, principalmente na parte de segurança, arranjem sempre uma forma de “fugir a responsabilidade”, se houver algum acidente em obra, a responsabilidade recai sobre o engenheiro, so que o engenheiro n é nenhum deus, não pode manipular os operários da forma que quere, eles são humanos, não são robôs,especifiquem, mesmo que haja pormenores que lhe pareçam irrelevantes.

    p.s. Não liguem muito a escola onde voces tiram o curso, não tem tanta influencia como se pensa, o que importa é que vocês saibam ser profissionais!

  12. Bruno Daniel Madaleno diz:

    Queria pôr uma questão: Engenheiros em Portugal Recebem Mais que os Arquitectos ? Sei que não é essa a questão, pois está mais dirigida para os Engenheiros Civis, mas eu estou a acabar o Curso de Arquitectura, e sempre me interroguei sobre essa questão. Em Arquitectura está muito critico, penso que o cenário é idêntico até porque pertencemos todos ao mesmo universo, que é a construção.
    Em principio está mau para todos :S mas gostava de ouvir a vossa opinião

    • Liliana diz:

      Sinceramente? A crise é tão bera para os Engenheiros como Arquitectos… Aliás… Para os trabalhadores em geral…

      • Nuno diz:

        Se tivermos em conta que um projecto de arquitectura custa tanto como as especialidades todas juntas em fase de licenciamento….. o arquitecto ganha bem mais

  13. Ângelo diz:

    Dei com este blogue e vou deixar a minha experiencia até ao momento sobre o assunto predominante, a crise. Em portugal, está muito mau para nós engenheiros civis, seja pessoal que trabalha em obras publicas, sejam obras particulares, está tudo reduzido a nada. Simplesmente, vivemos num país pequeno, que atingiu a maturidade em termos de desenvolvimento. Começa a ser ridiculo, tanta auto estrada, neste momento há 2 para ir de porto a lisboa, e vai uma terceira em construçao. Às vezes penso que é para o autocarro do benfica ter opções nas deslocaçoes ao norte :D. Em todo o caso, retomando o assunto, tenho colegas de curso com 5 anos de experiencia a trabalharem 10, 11 , 12 horas por dia por 600€/mes. a maioria cifra-se nos 1000. somos a geraçao dos mil. Aparecem uns felizes contemplados lá muito raramente que chegaram a directores de produçao e la ganham 2000, 3000, mas muito poucos mesmo. A unica opçao, e quanto mais rápido nos convencermos é angola, brasil.
    Abc a todos

  14. Fábio Formigo diz:

    Boa Noite!

    E como conseguir uma colocação para ir para um país desses? Das minhas pesquisas encontro muito pouco, o que encontro é essencialmente no Netempregos em que pedem 5, 10 ou as vezes 15 anos de experiência… Onde ficam os mais novos a trabalhar? 🙁
    Estou esperançado que avancemos definitivamente para a reabilitação em Portugal!

    Cumprimentos

    • Liliana diz:

      Fábio Formigo tenha muita atenção aos anúncios que solicitam profissionais para o exterior. Os potenciais empregadores devem estar devidamente identificados e aconselho-o a “googlar” sobre os mesmos!

      Pode ser aliciante ir para o exterior, atrás de um melhor ordenado, mas nem sempre tudo o que oferecem o é na realidade e às vezes podemos-nos meter em complicações.

      Se houver uma empresa que se identifique e tenha uma boa proposta de trabalho, recomendo que contacte o consulado Português nesse Pais para saber se lhe podem dar algum tipo de informações sobre a mesma.

      Boa sorte e tudo de bom!

  15. Jefter diz:

    Olá tudo bem,
    Não sabia da crise da profissão ai em portugal, pois aqui no Brasil Falta engenheiro, o salario de recem formados aquí chega a 7 mil reais. Eu tenho 6 anos de formado e abri mao de meu emprego que pagava 15 mil reais com as regalias para montar meu proprio negócio.

    A Brasil não tinha uma fase dessa deste os anos 70.

    Abraço a todos

    • Fernando diz:

      Boa tarde,
      Está a precisar de algum engenheiro civil? Vou já para aí trabalhar e experiência não me falta. Araço

      • Jonathan diz:

        Fernando Manda seu msn aii Brother..
        Pq euu keriia te perguntar algumas coisa de Engenhariia Civil.
        Valleo

    • Helena diz:

      Olá…

      Estou a procura de estágio e penso que possa existir algumas empresas do Brasil a recrutar engenheiros civis estagiários, conhece algumas empresas que possam fornecer estágios?

      • VITOR diz:

        Olá, Helena.
        Existe várias, entre no Google Brasil e procure por “vagas de trabalho”.

        Mas cuidado com essa propaganda toda que fazem, planeje bem antes de vir para cá.

    • VITOR diz:

      >o salario de recem formados aquí chega a 7 mil reais.

      Isso é mentira.
      O salário de um engenheiro civil que acabou de se formar é de ~3500 reais.

      Com milhares de faculdades de engenharia civil aparecendo até nos cantos mais remotos do Brasil, não vai demorar muitos anos para um salário de engenheiro civil abaixar.

  16. Daniel Paiva diz:

    olá, muito boa tarde.

    Sou estudante do 12ºano, e estava a pensar seguir a area de engenharia civil, mas pelo que vejo neste site as coisas nao estao muito faceis, para no fim do curso arranjar emprego. Será que devo seguir engenharia cevil???

    Cumprimentos
    Daniel Paiva

    • Neste momento em Portugal está tudo mal. Por isso, a não ser que vás para medicina, terás dificuldade em encontrar emprego. Agora se gostas de Engenharia Civil, esforça-te no resto do ano e nos exames para ires para uma boa universidade. Depois lá esforça-te para aprenderes de tudo e serás um engenheiro de sucesso

  17. Carlos diz:

    Parabéns pelo blog.
    Sou finalista do mestrado (bolonha) e agora é que me começo a deparar com a enorme dificuldade em arranjar emprego por parte de um engenheiro civil (sabia que as coisas não tavam fáceis, mas desta forma nunca pensei). As ofertas que existem são muito poucas, e as poucas que existem ou exigem experiência ou são muito mal pagas (600,700€), o que é uma vergonha para quem andou a estudar 5 anos, num curso que não é particularmente fácil. O que acontece é que quando envio um curriculo estou a concorrer directamente com pessoas que já têm experiência na área devido à taxa de desemprego na área (que tende a aumentar) e o que torna as coisas muito complicadas.
    Penso que irremediavelmente, muitos de nós (recém-formados e não só) terão que ir trabalhar para um país estrangeiro ou tentar a sorte e lançarem-se às feras sozinhos, abrindo empresas e criando os seus próprios postos de trabalho. A minha pergunta é, estas situações sao razoáveis sem nenhuma experiência profissional?
    Não se afigura fácil, esperemos melhores dias. Cumprimentos

    • Lucas diz:

      Aqui no Brasil a situação é bem diferente. A economia vai bem e hoje os cursos de engenharia se multiplicam e são disputadíssimos. Sobra vaga para engenheiros. Alem disso, o Salário é R$4770,00 (cerca de 2000 euros) para quem está começando. Os impostos que pagamos são abusivos mas a remuneração líquida é cerca de R$3800,00 e as leis trabalhistas brasileiras são bastante paternalistas. Isso é um piso determinado por lei de 1940, que diz que os engenheiros recebem piso salarial igual 9 vezes o salario mínimo do trabalhador brasileiro (R$530,00 atualmente). Falta no Brasil também mão-de-obra braçal, haja visto que a taxa de desemprego é a mais baixa dos últimos anos. Não desista da Engenharia. Hoje Portugal não vai bem. Amanhã pode melhorar e existe, principalmente na América Latina, uma grande necessidade de Engenheiros.

      • Helena diz:

        Olá…
        Tem conhecimento de algumas empresas no Brasil que possam ajudar quem está no inicio da carreira, sem experiencia alguma, a tentar obter um estágio?

  18. Marcus diz:

    Caros,
    Conforme já dito pelo colega, aqui no Brasil a engenharia de uma maneira geral está indo muito bem, sobretudo devido às oportunidades advindas da copa de 2014 e olimpíadas de 2016 (acho eu).
    Realmente faltam profissionais no mercado e os poucos restantes são disputados a unhas. Porém convém a quem queira vir tentar a sorte no Brasil, procurar primeiramente validar seu diploma aqui, segundo as regras do MEC (sito: http://www.mec.gov.br).
    Mudando de foco, estive aí em Portugal em janeiro deste ano e fiquei muito surpreso com os comentários sobre a “crise” que o país enfrenta, e de como os profissionais de nível superior são pouco remunerados, sobretudo considerando o grau de responsabilidade por estes assumido.
    No mais digo que tanto o Brasil com Angola são países em pleno desenvolvimento, e este desenvolvimento é inevitável. Daí por que não fazer como vossos antepassados e lançar-se aos novos desafios e oportunidades dalém mar?
    Concluindo desejo uma boa sorte a todo o Portugal.

    • Liliana diz:

      Muito, mas muito sinceramente, não sei se não vou começar a procurar uma oportunidade profissional por ai…

      Por cá, o mercado entrou em rotura, a oferta é pouca e procura é muita.

      Vou aproveitar a dica e vou à luta… Sem trabalhar não fico e eu gosto imenso do que faço e para o qual estudei arduamente.

  19. Pereira diz:

    Encontrei este site por acaso, e como sou engenheiro civil (mas não exerco) vou deixar o meu comentário. Conclui o curso à 2 anos e pouco atrás e estive a trabalhar numa empresa a qual me pagava 600€ (iliquidos….). Fiz lá o meu estágio de 8 meses, depois desisti porque os meus pais tinham de me ajudar com as despesas…. Ao fim muito procuar consegui um emprego como diretor de obra mais perto de casa com um ordenado de 750€ (liquidos)…. Trabalhava 12 horas por dias, andava todo o dia com o meu carro e os problemas eram tantos que nem dormia de noite. Desisti e hoje trabalho por conta própria na minha vila a fazer uns pequenos trabalhos como empreiteiro – sou o chamado trolha. Não digo que fossem 5 anos perdidos a estudar mas se fosse hoje nunca tinha escolhido este curso… Boa sorte a todos os Engº e desculpem o testamento….

  20. ana diz:

    Olá! Desde já quero felicitar-te pelo teu blog, porque está espectacular.
    Estou no 11º ano em ciências e tecnologias matemática e física são as minhas disciplinas favoritas e que tenho mais facilidade, mas também tenho consciência que o ensino secundário é muito facilitado desde da introdução das máquinas gráficas e por saber que não vou puder utilizá-las na universidade não sei se terei assim tanta facilidade. Por outro lado fiquei desiludida por saber que um ou uma engenheiro(a) civil recebem mal, porque afinal é um curso de 5 anos!!!

  21. carlos diz:

    Parabéns pelo blog.
    Queria deixar aqui a minha experiência, estou a terminar o 3ªano em engenharia civil, faltando-me poucas cadeiras. Trabahei durante 20 anos numa empresa de engenharia como desenhador, onde ganhei o gosto por estas coisas.Ao longo dos anos vi a carreira de engenheiro a decair, isto devido a arrogância do patronato em explorar cada vez mais a “vossa” disponibilidade para o ser “pau para toda a obra”, voltando um bocado atrás, foi desenhador durante + de 15 anos, onde ganhava bem mais do que 1000. hoje estou desempregado pois a empresa para qual trabalhava prefere meter um engenheiro a ganhar 600 e a desenhar, do que um desenhador a ganhar 1000. o que quero dizer com isto é que “nós”, falo assim por também o vou ser, nós sujeitamos a fazer trabalhos que não nós dissem respeito, não fazendo o que nós está destinado, ou seja ser Engenheiro. A culpa é um bocado “nossa”.
    Mas sei que estamos numa crise complicada, e todos precisamos de comer.

  22. Miguel diz:

    Muito parabéns pelo excelente blog.

    Sou Engenheiro à 8 anos e tenho sempre estado no activo, e sempre a subir na carreira, mas com esta crise a chegar e a instalar-se de forma tão severa não sei quanto tempo isto irá durar.
    É verdade o que já foi dito aqui, seremos mesmo a geração dos 1000€???
    É inadmissível termos numa Obra o pedreiro a ganhar (porque faz uma horas) cerca de 1800 e às vezes 2000€ sem responsabilidade alguma e o Director de Obra (que tem isenção de horário e faz as mesmas horas) ganhar metade e tem toda a responsabilidade. Temos a pirâmide completamente invertida.
    Por estas razões penso sinceramente em ir daqui para fora, mas os contactos não aparecem assim do nada e não é assim tão fácil chegar às empresas Estrangeiras, mesmo com alguma experiência. Falta o visto, depois falta a inscrição no CREA (no caso do Brasil é a espécie de Ordem dos Eng.), etc.

    Em suma, não podemos é desistir e com perseverança iremos conseguir.
    Já agora se alguém tiver conhecimento de como entrar mais facilmente no mercado Brasileiro, podia postar!!!

    • Kleber diz:

      Sou brasileiro (tenho cidadania portuguesa tambem), me formei em Arquitetura (e consegui equivalencia de diploma em Portugal) e vejo com muita apreensão os depoimentos dos colegas Engenheiros. Estive em Portugal de férias, mas acredito que como turista não é possivel ter a real percepção da situação economica de um Pais…

      Aqui no Brasil, realmente passamos por um periodo bastante favoravel aos graduados nas areas de Engenharia e Arquitetura; faltam profissionais qualificados e, por conta disso, os salarios das maiores e melhores empresas têm subido muito, exigindo tambem muito trabalho e dedicaçao dos profissionais. Conheço engenheiros que abriram mão de ofertas de mais de R$ 10.000,00 (cerca de 4.500 euros), mas tenham em mente que algumas destas vagas são para trabalhar em lugares muito distantes (bom ter em mente tambem que Portugal é menor do que a maioria dos estados brasileiros e que algumas das grandes obras sao em lugares bastante distantes). O CREA – Conselho Regional de Engenharia, Agronomia e Arquitetura – regulamenta a profissão no Brasil, mas acredito que (ao menos inicialmente) não deve ser dificil conseguir emprego sem o registro do CREA. A Equivalencia de diploma deve ser feita obrigatoriamente em uma Universidade Publica Brasileira (a maioria dos estados têm Universidades Federais; alguns estamos mais ricos tem tambem Universidades Estaduais), o processo é caro, moroso e cansativo – como tambem é em Portugal, sei bem…

      Existem grandes empreendimentos turisticos no nordeste do Brasil sendo executados por investidores Portugueses, o que acredito que facilitaria muito conseguir uma vaga de trabalho, alem da adaptação.

      Recomendo que, aos que tenham realmente interesse e disposiçao – venham como turistas e tentem entrar em contato com estas empresas.

      Mais uma vez, meus sinceros votos de melhora na situação economica portuguesa e que tudo se acerte o mais rapido possivel.

      Abraço a todos.

  23. Jose Maria diz:

    Quanto deverá receber um recem-mestrado em engenharia civil que tirou o curso e mestrado na universidade nova de lisboa? (monte da caparica). Obrigado

    • engenhariaportugal diz:

      Devia receber 2 ordenados minimos. No entanto no máximo dos máximos recebe 700 e poucos euros + subsidio de alimentação (6€ ao dia).
      Depois, dependendo das funções deve ter carro, telm e pc.

  24. xmcarreira diz:

    Recomendo aos colegas portugueses o exactamente o mesmo que aos meus colegas espanhóis sem emprego ou mal pagos: arrumem as malas e vão-se fora do país: Brasil, França, Alemanha, Reino Unido, EUA, Argentina, México,… tanto faz se há trabalho e o ordenado é digno. Não vale a pena esperar, as coisas só podem piorar em breve para os chamdos PIGS.
    Só posso dizer que é uma grandíssima chatice o que fizeram os políticos, a banca, os especuladores, a UE, o FIM, o BCE, uma sociedade ignorante e um sistema em que sempre ganham os mesmos a toda esta geração perdida de jovens profisionais em todo o Sul da Europa.

    Há seis anos quando comecei a trabalhar de estagiário na Galiza o meu ordenado eram 1200€/mês em 14 vezes e não me parecia muito. Se tenho de trabalhar por uns miseráveis 1000€ ao mês vou embora para não voltar. Sorte e coragem.

  25. Victor diz:

    Lamento muito a atual situação com que vocês passam aí, realmente crise é algo que ninguem gostaria de passar.
    Sou brasileiro, tenho um avô português, nunca visitei vosso país, mas sempre ouvi falar bem, inclusive o fato de que o velho continente é um lugar desenvolvido e rico. Fico pensando o que pôde ter acontecido para que se instalasse tamanha crise em um povo que sempre foi acostumado à facilidades.
    Nós brasileiros sempre estivemos em crise, a engenharia nunca foi promissora por aqui, mas de 10 anos para cá conseguimos reverter a situação de forma bastante luvável.
    Hoje nosso salário mínimo é de 223 euros, mas são raras as pessoas que o recebem. uma empregada doméstica ganha na faixa de 2 salários, um médico ganha próximo de 25 salários mínimos, e isso é uma realidade bastante comum em meu país. A disparidade salarial é muito evidente, e essa desiguldade social causa inúmeros problemas para o país.
    Eu sou engenheiro civil formado pela universidade federal do paraná, em final de 2006, tenho portanto quase 5 anos de formado, hoje ganho o equivalente a 3.483 euros. Sou engenheiro residente dessa obra http://www.quartieraguaverde.com.br/ Meus colegas de escritório ganham na faixa de 4 a 6mil euros, obviamente com mais tempo de experiência e cargos superiores. Além dos 13 salários anuais, temos direito ao plano de saúde (seguro saúde), auxílio combustível próximo de 80 euros/mês e 30 dias de férias remuneradas a cada ano de serviços prestados.
    Para a arquitetura o mescado também está promissor, mas de modo geral ganha-se menos que a engenharia, hoje um arquiteto que ganha 1800 euros está muito bem empregado, pois a média nao passa disso.
    Hoje temos um clima bastante favorável aqui no país, pois temos a copa do mundo e os jogos panamericanos, ambos sediados no país até 2016, isso trouxe uma demanda por investimento em infra estrutura muito forte para um país que crescia à taxas ínfimas até poucos anos atrás. Aqui falta tudo, saneamento, estradas, portos, aeroportos, hidrovias, casas, usinas hidroelétricas, enfim, é um país em franco desenvolvimento, que tem quase 200milhoes de pessoas precisando de absolutamente tudo, o que o torna um celeiro de obras.
    Sugiro que vocês venham passar as ferias por aqui, e procurem uma oportunidade, estudos recentes dizem que hoje o Brasil precisa de mais de 20mil engenheiros em diversas áreas, e as universidades nao suprem a demanda.
    Desejo votos de que Portugal saia da crise o mais rápido possível, pois isso não é bom para ninguém.
    Felicidades à todos!

  26. João Santos diz:

    Eu também sou parvo! (Revejo-me na musica dos Deolinda)

    Infelizmente este tópico também se aplica aos Engenheiros Electrotécnico. Parece que temos todos os mesmos sintomas.

    Na semana passada, António Reffóios (Administrador delegado da Nestlé) dizia, numa reportagem do Expresso, que instalou-se uma desconfiança entre as pessoas.

    Este tópico diz claramente quais são as causas dessa desconfiança.

    Como é que pode haver confiança quando há empresas a propor salários baixos e constantemente a renovar o stock de estagiários.

    É triste! Andamos empurrados de um lado para o outro e não temos direito a ter família ou um lar.

    Somos forçados a ser nómadas e confiamos mais nos empregos internacionais do que nos nossos empregos.

  27. Joao Paulo diz:

    Sou engenheiro civil, moro em Manaus/ Amazonas/ Brasil, tenho um amigo que é de cascais/Portugal, ele é desenhador em cad e esta muito bem aqui em manaus, ganhando um salario em torno de 2500 euros. Aqui em manaus precisamos de pessoas assim, na area de projetos estruturais e complementares. Aconselho voçes a virem em manaus e tentarem observar o mercado.

    boa sorte

    • Tiago Antunes diz:

      Olá. Sou Eng. Civil, tenho mais de 3 anos de experiência e estou muito interessado em ir para o Brasil. Existe ai uma vaga para mim??

  28. Luiz diz:

    Eu sou engenheiro civil no Brasil e estou bastante surpreso de saber que os engenheiros estão ganhando tão mal em Portugal. Por aqui o salário mínimo para um engenheiro com mais de 1 ano de formado é de R$4.760 (aproximadamente 2000 euros). Achei este site pois um grupo de engenheiros portugueses está em contato com a empresa em que trabalho para trabalharem em um projeto por aqui, mas eu imaginava que não valeria a pena para eles virem para cá ganhar o nosso salário, pois achava que por aí se ganhava muito mais.

    Por aqui os engenheiros penaram bastante nos anos 90 pois a economia estava estagnada e não havia empregos, mas hoje o setor de construção está bastante aquecido e estão faltando profissionais qualificados. No entanto os preços por aqui, sobretudo de imóveis, estão cada vez mais altos. Na cidade onde moro os preços mais do que dobraram em menos de 3 anos. Não é tão improvável que estejamos em uma bolha imobiliária prestes a explodir.

  29. É uma pena que esteja acontecendo isto em Portugal.

    Já passamos por isso há alguns anos, mas agora no Brasil a situação é mesmo diferente. Estamos até podendo escolher onde queremos trabalhar.

  30. Diego Mendez diz:

    Estou pasmo também!
    Sou engenheiro civil no Brasil, com 2 anos de formado e ganho 3200 euros.
    Sendo que nós ganhamos e gastamos em real. Então seria como se ganhássemos 8000 euros aí.

  31. António Campos diz:

    Caros companheiros,

    A solução é sair de Portugal! Somente sair! O mercado em Portugal não dá resposta à quantidade de engenheiros que temos! Criou-se a ideia que os engenheiros civis poderiam trabalhar no seu próprio país, essa é uma realidade para cada vez menos engenheiros. Genericamente, é simples entender que os engenheiros civis são somente necessários onde existe demanda de projectos e obras. Pelo que somente os países em crescimento e sem infra-estruturas poderão receber-nos (América Central/Sul, Emirados Árabes Unidos, África). Trabalho no exterior (Emirados), por uma empresa brasileira, embora a minha situação seja estável e de remuneração razoável, entristece-me também a certeza que quando quiser voltar para Portugal tenha de ser para me dedicar a outra área!

    • Nelson De Sousa diz:

      Antes do mais, muito bom tema. Em Portugal devia ser como no Brasil, ou seja, fixar os ordenados minímos das classes com base no salário minímo.

      Caro António,

      Não quer servir de “messager” do meu CV para os recursos humanos da sua empresa.

      Sou engenheiro civil, licenciado pelo IST em 2000, estive sempre em obra como director de obra após o me segundo ano a trabalhar e agora vejo-me desempregado á 17 meses e quase sem solução para a minha vida. Tenho tentado sair do país desde 2010, pois cá já deu o que teve a dar, mas dá-me a ideia que somos tantos a tentar encontrar algum emprego no exterior que nunca chego a ser chamado para entrevistas, nete período de tempo apenas foi chamado a uma meia duzia de entrevistas, três das quais foram antes do aparecimento da TROIKA por cá.

      Se estiver disponível para me ajudar neste sentido ou então em passar-me alguns contactos agradeço.

  32. Quitéria Dias diz:

    Em primeiro parabens pl blog…

    sou Eng. Civil de projecto e estou a trab há 3 anos e vejo que há muita gente a sair agora da faculdade e não conseguem arranjar trabalho…

    não sabia que o Brasil estava a precisar tanto de engenheiros… se arranjasse lá trabalho ia já ontem! Alguém?

  33. Diego diz:

    O período é MUITO favorável para quem quer exercer a engenharia no Brasil.
    Reportagem exibida em telejornal brasileiro em 09/03/2012:

    http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/?c=17075&t=Empresas+brasileiras+buscam+engenheiros+no+exterior

  34. robson diz:

    o salario minimo no brasil passa os 600 reias , mas 12 veses 600 reais e igual a 7200 reais , otimo salario no brasil que equivale a qualse 3000 mil euros ao que um engenheiro civil nosso pode ganha ate 20 mil reais o que chaga na casa dos 10 mil euros e a demanda de engenheiros no brasil passa o 70 mil po ano esta sim precisando de muitos e os portugueses acaba sendo uma preferecia pelo edioma

  35. Alex Monteiro diz:

    A respteiro do ordenado brasileiro:
    Aqui, no Brasil, o salário mínimo(ordenado), é de R$620,00.
    O poder aquisitivo que se faz com isto no Brasil é exatamente o que se faz na Europa, que visitei por diversas vezes.
    Ex: Um pão francês custa: R$0,35
    Coca cola em lata: R$2,00
    Conta de água: Média de R$60,00(se só recebes 1 salário tens direito a pagar R$35,00)
    Conta de luz(energia): R$80,00
    1kG de batata: R$0,90
    1Kg de arroz: R$1,90

    E por aí vai…
    Não devemos nos enganar pela conversão da moeda, 1 euro compra R$2,40. Nossa moeda é mais desvalorizada para estimular as exportações, e a cada ano nossas indústrias produzem cada vez mais, por isso nossa economia está crescendo a passos largos, nós somos hoje a 6ª Economia no mundo e nossa meta é que em 2016 sejamos a 4ª.
    Claro temos problemas internos que temos que resolver.

    Um engenheiro mecânico/civil ganha no mínimo 9 salários(ordenado), é garantido por Lei, ou seja R$5580,00. q

  36. Alex Monteiro diz:

    Continuando….
    Com isto tens uma vida excelente.

    Na média os Engenheiros aqui ganham em torno de R$7500,00 ,
    fora os benefícios(regalias)

    A média salarial do brasileiro se juntar toda a população do brasil é de R$1200,00 .
    Não entendo porque brasileiros se aventuram na Europa. Aqui é um país cheio de oportunidades e incentivos para o crescimento da nação.

    Um abraço e sorte aos nossos primos distantes portugueses para que enfrentem esta crise que acredito ser passageira.

    Um abraço a todos.

    alex.monteiro@ares.ind.br

    • JL diz:

      Caros colegas, agrada-me o facto de existir um espaço onde se fala tão abertamente. Normalmente somos muitos reservados em relação aos nossos ordenados.
      Sem duvida que somos uma classe cada vez menos respeitada.
      Considero que existem vários factores associados.
      O primeiro a nossa competitividade. Na área de projecto vivemos numa autêntica feira. Existe sempre um gabinete ao lado que consegue fazer mais barato e o cliente ainda tem a coragem de nos confrontar com isso para tentar um valor aindamais baixo.
      Somos de facto pouco unidos neste aspecto.
      É bem verdade que não temos nenhuma entidade que nos regule neste aspecto.
      Deveria haver uma base mínima abaixo da qual ninguém pudesse projectar sob pena de ser acusado de concorrência deslial.
      Os médicos e advogados têm isso.
      Outra questão importante passa pela formação.
      Vivemos numa sociedade facilitista e esse espírito é adquirido logo no percurso escolar. Depois de formados, alguns colegas actuam exactamente da mesma forma, facilitista… Não tendo por vezes conciência da responsabilidade associada aos seus actos de engenharia.
      Ou seja todos nós somos um bocadinho responsáveis pela situação em que nos encontramos.

      Outra situação interessante e acima de tudo limitativa tem haver com o facto de um técnico com vinculo laboral numa empresa incrita no InCi mesmo não assinando o respectivo alvará, não poder ter outro vinculo com outra empresa.

      Já se sabia que hoje o técnico só pode assinar um alvará e fazer as respctivas direcções de obra da empresa, mas ainda não tinha percebido que numa situação destas não poderá estar vinculado a outra empresa também inscrita no InCi.

      Segundo o InCi o técnico é considerado incompatível quando se encontre numa das seguintes situações:
      . Faça parte do quadro de pessoal de uma outra empresa inscrita no InCI;
      . Desempenhe funções técnicas, a qualquer título, em entidades licenciadoras ou donos de obra pública (excepção: não é considerado incompatível se estiver autorizado, para o efeito, nos termos legais).
      Um abraço a todos.

  37. paulo diz:

    Gostava muito de ir trabalhar para o Brasil.

    contacto@mosasart.tk

  38. Eliane Terra diz:

    Boa tarde, sou engª civil e vivi em Portugal durante 10 anos, assim como no Brasil o reconhecimento do curso/equivalência, inscrição na ordem, no meu caso dos engºs técnicos, é muito burocrática é uma processo que anda a volta dos 2 anos. Estou a 4 meses no Brasil e apesar de, como aqui foi dito, ganhar cerca de 6500reais bruto (desconto cerca de 1500 reais de imposto e parte da regalia que aqui foi dita “plano/seguro saúde” que não é custeada a 100% pela empresa). Tenho 2 filhos um com 7 anos e um com 1 ano e 1/2 e como não tenho coragem, devido a falta de segurança, de colocá-los numa escola pública, gasto cerca de 1500 reias por mes com a mensalidade da escola, despesa que em Portugal andava a volta dos 110 euros, pois o meu filho mais velho estava numa ótima escola todo o dia e eu não pagava nada por isso. Ganhava ai 760 euros por mes mas vivia melhor do que com os quase 3000euros que ganho por mes. Minha irmã e meu cunhado tem um ordenado que auferem cerca de 10000euros mes, mas eu não troco a minha vida em Portugal pela vida que eles têm no Brasil. O Brasil foi considerada a 6ª maior economia mundial em 2011, no entanto é o 84º colocado no IDH Indice de Desenvolvimento Humano. Eu achava os portugueses mal educados, mas chego a conclusão que os brasileiros, apesar de receptivos e pessoas alegres e extrovertidas, são extremamente mal educadas. Enquanto eu ando com um papel na mão a procura de uma lixeira, pq tb não existe essa mentalidade e estrutura, há pessoas que descartam o lixo para o chão sem qualquer constrangimento. E isso é que não sei até que ponto compensa o dinheiro que aqui se ganha. Sem contar que a situação da “bolha” que aqui foi comentado é um fato e mais cedo ou mais tarde irá arrebentar. Para quem quer ultrapassar uma fase de crise e não tem filhos o Brasil é uma boa opção temporária, no entanto em qualidade de vida eu não troco Portugal pelo Brasil. Eliane Terra (brasileira – engª civil desde 1998, execeu profissão em Portugal desde 2001)vive em Brasília, capital do Brasil e um dos maiores canteiros de obras do Brasil).

    • VITOR diz:

      Concordo.
      No Brasil, só compensa viver se tu ganhares mais de 20 mil por mês, para não ter que depender muito dos outros.

      O choque de cultura já é grande para quem vai de um estado para o outro, imaginem quem vem de outro país para morar.

      Eu também tenho medo por meus filhos.
      Muita gente não sabe, mas a impunidade no Brasil da nojo. Não só pela política, mas pelos crimes. 92% dos assassinatos ficam sem solução.
      Não se pode andar com vidros abertos no transito, ou usar celular na rua.

      A infraestrutura é horrível, o esgoto corre na rua.

      Não troco a segurança que tenho na Austrália por nenhum salário de 8 mil euros que ganhe no Brasil.

  39. Eliane Terra diz:

    continuando, o problema de Portugal relativamente à profissão de eng. civil é que existe uma grande rivalidade entre as ordens e os grandes institutos que se acham os donos da verdade e não existe por parte destas instituições uma regulamentação relativa aos ordenados desta classe. Nunac foi estabelecido um parâmetro que regulasse os ordenados dos eng. civis, por exemplo se há um reajuste do ordenado mínimo nacional suquesente há das classes profissionais. Como dizemos aqui no Brasil é muito Cacique pra pouco Indio, muita gente manda mas não há quem defenda verdadeiramente à classe profissional e então sucateam, como foi comentado aqui por um colega que foi despedido de cadista e contratado um engº pra ganhar metade do ordenado. Isso é um desreipeito com quem passa 5 anos na faculdade e depois vai ganhar menos que um trolha…
    bom não sei se foi proveitoso, mas deixo aqui os meus comentários.

  40. Mario diz:

    A grande diferença reside na época, antes do 25A os engenheiros ganhavam muito bem, trabalhavam poucas horas, e eram uns Reis. Depois disso abriram muitas escolas de engenharia e qualquer um é engenheiro nos dias de hoje. Conclusão ofertas de engenheiros não faltam !!!!

  41. Eng° Edvaldo G Bezerra diz:

    Saudaçõs colegas Portugueses.
    Observei o blog e alguns comentários,aqui em Recife- NE do Brasil, área mais tropical do país,”porto de galinhas,natal,Praias etc.” porém é menos desenvolvido que o sul do país: São Paulo ou Rio etc. Mais vou opinar também dando ao leitores um espelho do mercado por aqui ok. O salário mínimo no Brasil é de R$645,00 (Cerca de 280 euros) o salário mínimo da classe de Engenheiros civis dterminado pelo CREA entidade de classe é de 9 salários mínimos R$5805,00 – ou 2524,00 euros, para recém formados,com uma pouco de experiência este salário sobe bastante.Normalmente um salário normal é de R$7.500,00 a 12.000,00 “então é só dividir este valor por 2.3” dependendo da experiência e de negociações. Pode ser formal PF ou informal PJ. Felizmente o mercado aqui esta muito aquecido e a qualidade de vida é boa. Eu particularmente não conheço nenhum amigo que esteja desempregado como engenheiro. Nós acompanha-mos aqui no Brasil as dificuldades da economia Portuguesa, Espanhola,Itália, Grecia etc.. da Europa. Eu conheço Portugal pois fui de férias no ano passado, Adorei o pais, as pessoas,as raízes Portuguesas “Bisneto”. Observei que as médias saláriais são baixas, diferentes da Espanha,Itália, França, Suíça, Holanda… que eu conheci. Uma mesma União europeia com salários tão diferentes.Vejo também que quase todos os Portugueses residentes no Brasil, trabalham com Panificação, Comercio etc. não em áreas técnicas. Fico aberto a todos os leitores para responder aos questionamentos que venham a ocorrer. Trabalho desde que formei-me com Fiscalização e Gerenciamento. Agradeço a atenção e fico a disposição.

    Edvaldo G Bezerra

    • Fernando Morais diz:

      Ola Edvaldo boa tarde,
      Tou a imenso tempo a tentar ir para Recife, eu tou sou engengeiro civil, e até agora não consegui encontrar nenhuma proposta de trabalho, que conselhos me daria para ir para aí e procurar trabalho.

    • Edgar Moreira diz:

      Boas Edvaldo,

      Desde já deixo o meu agradecimento pela partilha de conhecimentos de Eng. Civil no Brasil.
      Existe alguma base de dados de empresas de Engenharia Civl, nas várias áreas, construção, fiscalização, fiscalização, etc…?
      Relativamente a procura de emprego, qual o melhor procedimento a tomar?

      Abraço e obrigado pela ajuda.

    • Pedro Santos diz:

      Bom dia Eng.º Edvaldo G Bezerra,
      Seguindo estas conversas com muita atenção tenho visto que o Eng.º tem sido muito prestável no auxílio aos colegas portugueses que pretendem ingressar no brasil para exercer engenharia. Sem querer abusar da sua boa vontade queria-lhe colocar algumas questões para mim importante.
      Como é natural, o processo para sermos nós engenheiros Portugueses sermos aceites pela ordem que representa no Brasil a profissão pode ser demoroso, e imagino até que pode existir a possibilidade de termos que regressar à Universidade de forma a obtermos equivalências, ou seja, é possível exercer atos relacionados com engenharia (projetista, fiscalização, Direção, orçamentista, etc.) antes de obtermos o reconhecimento da CREA?
      Existe uma real recetividade das empresas a engenheiros Portugueses?
      Quero muito tentar exercer no brasil. Atualmente estou empregado, mas é raro o trabalho que dignifique a nossa profissão. Dicas de como procurar trabalho no brasil?
      Pode responder para pedroalexsantos@hotmail.com
      Agradeço desde já a atenção.

  42. Eng° Edvaldo G Bezerra diz:

    Caro Fernando

    Bém você é natural de onde? Português? Pois acredito que existe um tratado entre o Brasil e Portugal que facilita o trabalho de Portugueses legalizados no Brasil,Temos aqui em Recife um ambiente favorável aos profissionais de engenharia civil, principalmente com as Obras para a área de Suape(Porto,petroquimica,Refinaria, obras da Copa e infra-estrutura geral) Acredito que seu primeiro passo seria contatar o CREA-PE(Nossa entidade profissional)e-mail http://www.creape.org.br Para ver a validação de seu curso e os tramites legais para o exercício da profissão aqui.”Registro sendo possível”. Então você montaria seu curriculum Vitae, para exercicio da Profissão sem maiores problemas. O Mercado esta com muitas oportunidades para o Brasil todo. Eu como natural daqui acho muito melhor trabalhar no Nordeste do Brasil,que na área sul do País(embora ainda é muito maior a oferta de trabalho no centro sul, mas o custo de vida aqui é bem menor,vivemos melhor gastando menos dinheiro). Antes de qualquer movimento brusco tenha certeza destes detalhes, oportunidades não vão faltar.
    Qualquer dúvida estou a disposição.

    Edvaldo G Bezerra

  43. Bruno diz:

    Rapaziada é muito simples. Se querem ser reconhecidos cá em Portugal saiam para fora. Trabalhar no Brasil, Angola é uma opção boa dependendo claro das preferências de cada um e dos objectivos de carreira. Se sabem outras linguas e tem bons contactos França, Alemanha e Inglaterra são os melhores paises. Tudo fora destes paises é arricado pelas diferenças culturais e percursos arriscados…Depois passado tres anos, ou 10 lol, quem sabe voltar, ou não…
    Forte abc e boa sorte!!!!!!

  44. Helena diz:

    Boa noite,

    Desde já obrigada por toda esta informação, pois é muito útil para quem está procurando emprego. Edvaldo estou a terminar o curso de engenharia civile gostaria de saber se tem conhecimento de algumas oportunidades de estágio para o Brasil. Tenho pesquisado mas nada tenho encontrado. Obrigada mais uma vez por toda esta informação..

  45. Eng° Edvaldo G Bezerra diz:

    Cara Helena,

    Se sua intenção for fazer o estágio em Recife. PE. Brasil
    Então vou enviar os links de algumas organizações que cuidam dos estagios aqui. Fazem um intermediação legal da empresa com o aluno, encaminhamento etc. sem custo algum. segue:
    http://www.ciee-pe.org.br
    http://www.iel.org.br/estagio

    Conheça também o Recife, minha cidade.
    http://www.recifepernambuco.com.br

    Fico a disposição se quiser mais algumas dicas.

    Edvaldo G Bezerra

    • Helena diz:

      Caro Eng° Edvaldo G Bezerra,

      Antes de dizer algo queria agradecer a ajuda e a disponibilidade por dar a conhecer algo que nos ajuda bastante, um muito obrigada.
      Eu vou analisar com cuidado os sites que me disponibilizou. A questão é que eu sou portuguesa e o trabalho de estágio por cá está muito mau e eu queria num plano futuro optar já por paises onde estivesse bem aao nivel da construção e que ensinem bem (o que acho que o Brasil tem). Além disso eu acabo o curso ao mesmo tempo que o meu companheiro e entretanto gostariamos de partir o dois em busca de um trabalho fora. Acha que o brasil proporciona alguma vantagem para quem vai em contexto “familiar”?
      Quanto a salários, o que nesta fase não é muito importante, tem alguma ideia de um salário base de um engeheiro estagiário?

      Cumprimentos,

      Helena

  46. Edvaldo G Bezerra diz:

    CARA HELENA

    Se você deseja estagiar quando terminar o Curso, então para nós aqui, já descaracteriza o estagio(Que ocorre no período acadêmico) e gera relatórios de estágio etc. Quando o Curso é finalizado você, já será contratada como Eng. Treinne ou recém formado. Porém a nossa norma local definida pelo CREA-(Conselho regional de Engenharia) define que o engenheiro receberá em 8 horas diárias de trabalho um salário equivalente a 8,5 ou 9 salários mínimos,cerca de R$640,00 cada salário mínimo(no mínimo)R$ 5700,00 / Euros 2,35 + – (2.450,00), pois é um concenso regional ou local,mais é o normal. Dai por diante o salário aumenta de acordo com a experiencia, dedicação, dependerá do profissional. Em minha região poucos recebem este piso, o normal é um salário maior. Então pense a hora de fazer estagio é agora durante o Curso, escolha a área: Projetos, Recursos hidricos, estruturas, construção civil, Contenções, Estradas etc… Ganhe experincias é o mais importante, no meu caso e Gerenciamento de obras civis.

    Ok..

    • Helena diz:

      Caro Eng° Edvaldo G Bezerra,

      Mais uma vez muito obrigada. Pois eu ja reparei nos sites que me facultou e apenas o estágio é durante o curso. Sendo assim quem vai trabalhar para fora, neste caso Brasil, seria logo pessoas com experiencia certo? Eu queria um trbalho que pudesse aprender até poderia não contar como estágio mas sabe que um recém formado ainda não está apto para resolver problemas sem poder aprender primeiro na pratica. Sim eu tirei mestrado na área de estruturas, sendo que nesta fase não me importa muito a área apenas queria comecar a fazer algo relacionado com a engenharia civil no seu todo, por exemplo até trabalhar em fiscalização e obra e tudo o resto. Mas não ha nenhuma hipotese de um recém licenciado ir para o Brasil e trabalhar “aprendendo” mesmo nao contando como estágio? Não tem conhecimento de empresas que possam optar por recém licenciados?

      Atentamente…

  47. alberto diz:

    Sou engenheiro civil e procuro emprego. alguém sabe algum contato? Tenho três filhos a meu cargo e estou desesperado.

  48. Eduardo Nunes diz:

    Olá a todos! Gostei muito dos comentários de vocês e gostaria de discutir mais sobre o assunto Engenharia De Produção ou Industrial. Aguardo retorno.

  49. Pedro Mourão diz:

    Muito bom o blog!

    Apenas um detalhe cujo não estou de acordo :

    “Mas esta grande diferença tem a ver com o facto de o ordenado mínimo brasileiro ser mesmo muito baixo.”

    Salário Mínimo Brasil Actual – R$ 678

    Salário Mínimo Portugal Actual – € 485,0

    Aumento do salário mínimo do Brasil desde 2010 – 400%

    Aumento do salário mínimo de Portugal desde 2010 – 53%

    … de resto, bom post!

  50. Cecília de Castro Bolina diz:

    No Brasil, está em falta mesmo são os professores para Engenharia.

    • Pedro Mourão diz:

      Não, faltam mesmo são engenheiros para trabalhar, deviam formar o dobro. Professores para engenharia , não me parece esse o problema…

  51. hugo brandão diz:

    olá amigo

    gostaria de saber…quanto custa para fazer uma faculdade de engenharia civil ai em portugal? e quantos anos são?

    abraçoss

    • Pedro Mourão diz:

      Boas,

      Existem várias opções para Eng. Civil em Portugal, tens que ser mais específico. (Lista de todos os cursos de Eng. Civil em Portugal –»» http://www.dges.mec.pt/guias/assistres.asp )

      Supondo que estás a falar do ensino público, são 3 anos para a conclusão da Licenciatura, e mais dois para o Mestrado se assim o desejar. O preço varia entre 900 a 1200 euros anual.

      Deixo como sugestão as melhores faculdades para esse curso em Portugal no meu ponto de vista: – Universidade do Porto; – Universidade Técnica de Lisboa; – Universidade de Coimbra; – Instituto Superior Técnico

      Cumprimentos,

  52. Daniel Alves diz:

    Ola a todos

    Sou engenheiro civil na suica. Os meus Pais imigraram à 30 anos. Eu nasci qua por isso o meu portugues nao e o melhor.
    Terminei o curso de Engenheiro Civil numa Universidade aqui na cidade Luzern este ano, em dois meses arranjei emprego e tenho um salàrio de 5000Euros. Aqui o engenheiro civil é muito procurado. Tenho muita pena com o que està a aconteser em portugal, gosto muito de ir ai e visitar toda a minha Familia. Estava a pensar em arranjar emprego em portugal daqui a 5 anos. Mesmo que nasci na suica nao tenho o pass suico. o meu sangue é portugues e gostaria de fazer a experienca de viver no meu pais. Agora a minha pergunta: Como a que voces acham que isto vai continuar? Serà muito dificil arranjar emprego nesta àrea?

    abracos

    • engenhariaportugal diz:

      Caro Daniel, a curto prazo não me parece… Se conseguires colocar alguns portugueses aí seria óptimo 🙂

      • Daniel Alves diz:

        O meu primo tambem disse a mesma coisa. É so aprender o alemao, depois de isso nao serà problema nenhum arranhar emprego aqui.

    • Tânia diz:

      Boa Noite

      Desde já parabéns ao blogue e especialmente as questões discutidas.

      Caro Daniel Alves, gostaria de lhe fazer umas perguntas.

      Como se encontra o mercado de Engenheiro Civil na Suiça?
      Visto que ainda estou a concluir o 12ºano, e o curso demora 5 anos a ser concluído, como, na sua opinião, vê a profissão de Engenheiros Civis no futuro na Suiça?
      Quais as condições ?
      Quais as melhores regiões da Suiça e o que recomenda para quem quiser ir exercer a profissão para ai?
      E já agora, como se encontra o salário? Os Engenheiros Civis recebem benefícios, tais como, carro, telemóvel, combustível ?
      E se não for de mais, como é a vida na Suiça?

      Agradecia a sua resposta

      Sem mais assunto

      Com os maiores cumprimentos

      Tânia

      • Daniel diz:

        Bom Dia Tania

        O Engenheiro Civil é muito procurado na suiça. Todas empresas de construção estão à procura de Engenheiros Civils. Por exemplo: Eu acabei o meu curso o verão passado, canditei-me em duas empresas, e um mês depois de acabàr o meu curso tive o contràto assinàdo. Não pósso dizer como as coisas vão continuàr, mas não me parece que vai mudàr muito. Estão-se a reformàr mais Engenheiros do que os que sàiem da universidade. As condiçois dependem muito da grandeza de uma empresa, se é uma empresa grande reçebe-se tudo (carro telemovel). O salàrio é ao inicio por todo lado igual. No primeiro ano reçebe-se por volta de 5000 euros. Para um T-2, por exemplo, pàga-se 1000 euros. Um Café custa 4 euros. Uma refeição ào meio-dia custa 17 euros. Impóstos pàga-se mais ou menos 10% do salàrio. Càixa de saúde pàga-se 150 euros por més. Trabàlha-se 9 Horas por dia e temos 4 semanas de ferias por todo ano.

        As melhores regioes para os portugueses deve ser a região françésa, porque não é muito dificil aprender a lingua, é bem parecida com a lingua portuguesa. Mas onde faltam os engenheiros é na parte alemà.

        Espero ter-te dàdo um pouco de conhecimento da vida na suiça.

        Cumprimentos

        Daniel

    • Rui Matos diz:

      Boa tarde daniel.

      O meu nome é Rui Nuno Matos e sou engenheiro civil. Gostaria de saber se para o exercicio da actidade de Engenheiro civil na Suiça temos que estar inscritos em alguma ordem dos engenheiros na Suiça?

      Eu estou a tratar de entrar na Swiss Society of Engineers and Architects (SIA.

      Estarei a ir pelo caminho certo?

      Obrigado.

      Rui Matos

  53. Jaime diz:

    Apos a revisão do decreto 73/73, decretou-se o fim da engenharia civil em Portugal. Pois foi dado aos arquitectos o controlo total sobre a construção de edificação, com beneficios totais da direcção e fiscalização de obras. E como o licenciamento das obras nas camaras municipais depende da obrigação dos arquitectos e juristas darem pareceres em tudo o que mexe, com invasão ou captura das areas que restaram parcialmente aos engenheiros. Assim resta aos engs civis serem muito simplesmente ajudantes de arquitecto. Os jovens sem experiencia nunca a alcançarão por falta de actuação e autonomia. Mais vale dizer aos jovens para mudarem de rumo, e fazerem formação em outra area, porque como engenheiros civis na verdadeira acepção da palavra, não valem nada salvo raras excepções que confirmam a regra.

  54. Rui Morgado diz:

    Caros colegas devem pensar mais em modelos (organizaçao social, ordenados) aplicados na Europa do norte (Franca incluida) porque independentemente de estarem em crise ou nao os ordenados praticados (caso de engenheiros civis) sao tabelados e sempre com possibilidade de serem revistos (em alta), mas isso deve-se ao facto de que nao ha engenheiros piratas, vacas velhas ou ainda lugares reservados. Hoje em dia um engenheiro em iniçio de carreira recebe em Franca 2 500,00 € e cinco anos depois o seu ordenado ronda os 3 000,00 €.
    Trabalho em Franca e verifico diariamente que cada um trata dos seus assuntos nao ha “turbo engenheiros a portuguesa do tipo ” eu trato de tudo, eu assino tudo”.
    Por isso aconselho a todos os que tiverem a possobilidade de trabalharem no estrangeiro de escolherem um país onde haja respeito, porque meus caros colegas trabalho nao falta.
    Nunca confundam necessidade de trabalhar com trabalho sem regras, sem respeito, porque depois quando ha problèmes sabem o que dizem os “pseudo empresarios lusos” , “foi o engenheiro, ainda que so lhe pago 500 paus”.
    Um bem haja, tenham fé em voçês porque ja corri 3 países na Europa e posso-vos garantir que a engenharia portuguesa tem qualidade e somos geralmente bem vistos .
    Só para a despedida, tambem ha aqueles casos ” um empresario para o outro, ó Tone entao o teu engenheiro é caro e bom ? Resp: O Zé nao ele é um gajo “tipo engenheiro” tas a ver, ele desenrrasca .
    Um abraço

    • antonio diz:

      Mais importante que os honorários ou vencimento, é a dignidade, a qualidade, a competência, o reconhecimento da actividade do engenheiro, o desenvolvimento de soluções para os problemas com a audição dos colaboradores, e agir com inteligência e independência. E não esquecer que há sempre regras a cumprir quer da administração publica, dono da obra e as empresas. Com a diversidade de técnicos (engenheiros, engenheiros técnicos, arquitectos, construtores civis e outros) que actuam na construção em portugal, sem falar a mesma linguagem, e podendo actuar exactamente nas mesmas áreas (projecto e fiscalização), pode concluir-se que aquilo que uns fazem os outros desfazem, cujo resultado esta na falta de qualidade e previsão da construção em portugal, com a agravante de que qualquer profissional de áreas estranhas à construção podem estar na direcção e comando dos serviços de obras (desde juristas, gestores,e outros), e assim os custos de construção e manutenção disparam, onde estão os responsáveis? Pois a culpa é sempre dos engenheiros isto e aquilo… . E assim defendo que a engenharia deve ser exercida pelos engenheiros e as remunerações a serem pagas, naturalmente serão muito mais elevadas, pois a qualidade aumentará exponencialmente. E já agora pergunto, porque é que os engenheiros, em regra, não são proprietários de empresas de construção? Pois é, morreriam à fome, neste ramo a qualidade raramente vinga!

  55. PHL diz:

    Olá, será que poderias me informar o valor do salario em Portugal para engenheiro de produção?

  56. Francisco diz:

    Olá, um blogue muito interessante e com informação muito boa.
    Trabalhei o meu secundário todo para ir para engenharia civil, com sorte da média ter baixado por mérito do meu trabalho entrei para o que queria e onde queria, FEUP, mas muita coisa tem me desiludido, desde o método de ensino até aos programas dados nos primeiros anos, encontro me no 3 ano com algumas disciplinas em atraso e cada vez mais ponho em questão a troca de curso por diversas razões, entre as principais não estar a gostar, muita teoria e pouca coisa prática, e a saída profissional.
    Gostaria de saber a vossa opinião e as vossas sugestões.
    Muito obrigado, abraços.

    • Carlos Dias diz:

      O curso de EC da FEUP como outros cursos de universidade tem mais teoria do que cursos nos IT’s. Mas isto não é uma coisa má, porque a EC pode ter várias vertentes. Muitas empresas precisam de EC com mais bagagem teorica e EC com mais inclinação para estar nas obras. Se está a ponderar mudar então é porque a sua vocação para EC não é a ideal, ou então não conhece bem a realidade do sector da construção. Decida-se, porque para estar no mundo das obras é preciso ser-se um pouco “maluco” e gostar mesmo.

  57. Ana diz:

    Formei—me em Engenharia Civil, Estagiei numa multinacional quando os estágios não remunerados não se ouviam falar, a crise estava—se a começar a sentir. Mudei para outra multinacional, concorrendo para Engenheira Civil, aceitei e na Folha aparecia preparadora de obra. Aprendi muito, dei o litro, passados 2,5 anos queriam oferecer—me um MBA e curso de alemão. Quando engravidei, deixei de ser profissional. A crise também lhes estava a bater à porta.
    Acabei por perder o bebé, foi a natureza.Desde então nunca voltei a exercer. Trabalho noutro sector.
    Quando procuro emprego na minha area, nem a um estágio profissional posso concorrer porque estou a trabalhar.
    Estou a fazer descontos para outros poderem usufruir dos estágios…
    É o Sistema…

  58. Mr Iman diz:

    Ahahahaha… muito bom…
    Sou engenheiro civil MESTRADO, há 2 anos e ainda só consegui trabalhar durante 1 mês a €800/mês!
    Tenho recebido sempre entre €600 e €690

    E o meu estágio para final do curso foi sem salário…

    • engenhariaportugal diz:

      Se não houvesse quem aceitasse esses salários da treta talvez todos ganhássemos mais um pouco.

  59. Newmann diz:

    Aqui no Brasil, não adianta estudar, é um país para pessoas ignorantes, aqui também estamos em uma crise profunda, sem precedentes.

  60. Carlos Dias diz:

    Sou engenheiro, mas vou deixar aqui a perspectiva do construtor civil, cargo que exerci também:
    – Em 1º lugar, as empresas de construção são privadas. Embora haja contratos colectivos de trabalho para o sector da construção, é preciso compreender que ser engenheiro civil não é ser funcionário público. Comecei por este ponto porque infelizmente deparo-me como muita gente que acha que só porque obteve uma licenciatura e/ou fez um curso numa universidade estatal, já lhe confere um estatuto de VIP ou funcionário público.
    – Em 2º lugar, é preciso aceitar que quantos mais engenheiros, mais oferta existe, logo as remunerações são afectadas.
    – Em 3º lugar, os engenheiros e as respectivas associações representativas também deviam exigir que os preços praticados na construção fossem devidamente actualizados. Os preços que hoje são orçamentados são iguais ou inferiores aos de 10 anos atrás… assim é dificil aumentar os trabalhadores, incluindo os engenheiros civis. Ninguém faz nada, só pensam em actualizar salários, fazer formações, fazer conferencias, etc.
    – Em 4º lugar, o SMN quando aumenta afecta prioritariamente os trabalhadores que recebem o SMN, ou seja serventes. A margem das empresas para aumentar engenheiros é muito reduzida, pois o SMN é actualizado todos os anos, afectando a massa salarial.
    – Em 5º lugar, em vez de andarem só a investir em engenheiros civis, deviam também investir na formação de quadros técnicos intermédios, os chamados encarregados de obra. Há poucos encarregados de obra e esses recebem em geral bem e muitas vezes melhor que os engenheiros civis, porque esses percebem efectivamente de obras, com a vantagem de saberem lidar com os trabalhadores, sendo duros se necessário. Perdi a conta aos milhares de dicas de encarregados de obras, e Às dezenas de acidentes evitados pela experiencia e talento de encarregados de obra. Não me admira nada que haja mais engenheiros civis que encarregados de obra… o que não faz sentido…
    – Em 6º lugar, quando se paga um salário acima da média a um engenheiro civil, espera-se que ele também seja leal, faça algumas horas extras quando necessário sem andar a exigir sempre pagamento de todos os minutos extra, que durma aqui ou acola quando necessário, ou aceite as boleias de carrinhas da empresa ou use o seu carro pessoal. Li aqui alguns comentários sobre carros que me fizeram rir. As empresas não são obrigadas a dar carro, e as que dão esperam algo em troca.

  61. Marco diz:

    Reclamam, reclamam, e fazerem algo por vocês está quieto.

    Se não gostam das condições de uma empresa sáiam dela, mais tarde agradecerão a vós próprios. Não imaginam os prejuizos que as empresas têm pela circulação de pessoas. Façam queixas das condições, metam o ACT ao barulho, etc, etc.

    Grande parte das empresas que por aí andam, não interessam a ninguém. Se os estagiários fossem obrigados a fazer reports válidos dos seus “estágios” … essa mamadeira acabava rápido.

    Já á uns anos que apesar de estar em PT, trabalho maioritáriamente em regime freelancer para contactos que fui estabelecendo, também além fronteiras. Ganho o mesmo ou mais, ou por vezes menos também, depende do volume, chateio-me menos, sou mais livre, não ando a sustentar parasitas exploradores …

    Por vezes temos de mandar quem parece querer ser nosso dono para o boda …

    • Marco diz:

      Esqueci-me de mencionar,

      Se todos souberem fazer o mesmo … estão lixados. Não se queixem, mas diferenciem-se.

      Quando me perguntam o que faço respondo “consultor de engenharia” com o tempo fui além da civil 😉

  62. GUSTAVO HENRIQUE REMÍGIO DOS SANTOS diz:

    Sou engenheiro civil recém formado no Brasil, e estou pensando em fazer uma pós graduação em Portugal no próximo ano. Gostaria de saber se vale a pena ir para portugal…tenho 7 anos de experiencia pratica em grandes obras, pois sempre fiz estagio desde o primeiro ano de Universidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *