Produto Anti-sísmico Inovador

Vai começar, no final deste mês, a produzir-se um tipo de estruturas laminares anti-sísmicas e sustentáveis pela empresa ESLAM – Estruturas Laminares Engenharia SA. Segundo a empresa este tipo de estrutura vai revolucionar a indústria da construção civil.

Gonçalo Pereira Almeida, presidente da empresa ESLAM afirmou, numa apresentação pública que “Foi a partir do terramoto do Japão que um investigador descobriu esta tecnologia”, acrescentando que a “tecnologia patenteada é originária do Brasil e consiste num novo tipo de estrutura de betão, constituída por feixes de lâminas de betão”. Concluiu, dizendo que o fabrico desta estrutura “passa pelo trabalho de serralharia, ou seja, o que está por dentro da placa é que é diferencia este produto”.

A construção multilaminar de betão é muito utilizada no Brasil, nomeadamente para habitação social. Oferece produtos mais esbeltos, com espessuras entre 75mm em paredes e 120mm em lajes. Além disso, reduz o peso próprio da obra em até 30%.

Como qualquer elemento pré-fabricado, a grande vantagem está na grande rapidez de montagem: uma pequena casa com 120m2 pode ser montada numa semana. Outra das vantagens está na redução de custos de mão-de-obra e riscos de acidentes, pois a montagem destes elementos exige menor quantidade de mão-de-obra e menos tempo em obra. Quanto à sua capacidade de carga, uma parede de 75mm pode ser sujeita a cargas até 90 toneladas.

Segundo a empresa, o produto está a ter grande aceitação, pelo que espera-se que atinjam um volume de negócios de 3 milhões de euros neste ano com as vendas.

A ESLAM pretende também exportar o produto, estando já em contacto com Espanha, França, Roménia, Cabo Verde e Angola.

A investigação deste produto está a ser feita com a colaboração da Universidade Técnica de Lisboa, LNEC, Universidade de Coimbra, entre outros.

Artigos Relacionados:

  1. MonteAdriano em Cabo Verde

3 comments

  1. Não mencionam é qual é o custo desta sustentabilidade!

    A nível de estruturas só ficarei convencido quando tiver mais conhecimento do que se trata realmente e vir uma obra ou o “material”.

    A nível térmico e acústico estamos a falar de elementos estruturais que irão necessitar de maior isolamento que um sistema mais tradicional…

  2. David Santos diz:

    Deixo desde já o agradecimento pela divulgação. Aproveito para corrigir o nome do Presidente que é Gonçalo e não Pedro.

    Poderão naturalmente contactar-nos para mais esclarecimentos sobre os nossos produtos e soluções.

    Não vemos os nossos produtos como pré-fabricados mas sim, também devido às diversas soluções que apresentamos para cada caso específico, como a industrialização da construção civil.

    Também por esse motivo, alem de outros, o custo aproximado, dependendo da solução específica em causa, poderá fazer baixar o valor final do edificado em pelo menos 20%, sendo de qualidade no mínimo igual ao que se faz hoje em dia, para não dizer mesmo superior.

    A questão térmica e acústica está devidamente acautelada e não obriga a maior isolamento que um sistema tradicional.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *