Reacção Álcalis-Sílica

A Reacção Álcalis-Sílica (RAS) tem sido uma das causas de origem química de degradação do betão. A manifestação desta patologia surge sob a forma de fendilhação. É um tipo de reacção expansiva interna que reduz consideravelmente a durabilidade do betão.

A origem deste problema está na reacção entre o cimento e os agregados. Assim, se juntarmos agregados reactivos com cimento de alcalinidade elevada, na presença de humidade existe grande probabilidade de ocorrer a RAS. Sendo RAS a formação de um gel interno expansivo.

A descoberta deste problema em Portugal data de 1990, na barragem da Pranaca. Assim, muitas construções anteriores a esta data apresentam problemas devidos a esta reacção. O viaduto Duarte Pacheco (detecção em 1993), Ponte da Figueira (em 1997), viadutos do Mondego (em 2002), ponte sobre Guadiana (em 2005), ente outros, foram obras de arte que manifestaram este problema e que obrigaram ao reforço de estruturas, com a reparação do betão.

Manifestações:

– Fissuração em rede;

– Fissuração orientada;

– Movimentos/Deformações;

– Coloração de fissuras;

Como prevenir?

– Utilizar agregados não reactivos aos álcalis

– Reduzir a alcalinidade da solução intersticial do betão

– Controlo da Humidade

 Vejam este documento do LNEC aqui, de fácil leitura e compreensão e com imagens ilustrativas deste tipo de reacção.

Artigos Relacionados:

  1. Betão de Má Qualidade no IP3

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *