Archive for 31/05

Sondagem: Nome do Blogue

Tenho verificado que muita gente chega aqui ao blogue  colocando no google “engenhariaportugal”. Gostaria de saber se há alguma dificuldade em decorar o nome do blogue e se acham que seja necessário mudar o nome para algo sem o “wordpress”, para facilitar o decorar do nome do blogue.

Afinal, Quem é o Administrador do Engenharia Portugal?

Como devem ter reparado, em nenhuma parte do blogue o administrador deste blogue se identifica. Já muitos me perguntaram quem eu era e porquê que não me identifico.

Sei que o projecto perde alguma credibilidade por não estar claramente identificado o administrador do blogue. Mas tenho as minhas razões para manter este anonimato. A principal razão é porque quem escreve na Internet (principalmente quando expressa a sua opinião) compra determinadas guerras que eu, a nível pessoal, não as quero travar.

Apenas meia dúzia de pessoas sabem quem é a pessoa que escreve neste blogue e penso que se irá manter assim. Espero que compreendam. Até porque eu não considero que o facto de uma pessoa que escreva num blogue não se identifique seja importante.

Para esclarecer algumas pessoas, posso dizer que frequento o 5º ano do curso de engenharia civil e por isso estou praticamente a sair para o mercado de trabalho

Estádio Flutuante no Qatar

Arquitectos Alemães da StadiumConcept lançaram uma proposta de estádio arrojado e original. A ideia futurista consiste num estádio reutilizável que flutua para ser utilizado no Mundial de futebol de 2022 (Qatar) e em eventos posteriores noutros locais. Ou seja, uma mega-estrutura flutuante que pode ser montado e desmontado em diferentes zonas costeiras.

Assim, a sua utilização implica uma renda durante o seu período de utilização. Findo este, o estádio é desmontado e levado por navio para outro local onde possa haver outro evento.

O Floating OffShore Stadium em capacidade máxima para 65mil pessoas e oferece as mesmas condições de conforto e segurança que os estádios ditos convencionais.  Além disso funcionaria como atracção turística.

Além de ser um tipo de construção inovador, segundo os arquitectos este estádio seria eco-eficiente (amigo do ambiente) e auto-suficiente a nível de energia e água pois produziriam electricidade a partir de energia solar e/ou eólica enquanto que a água seria obtida por dessalinização da água do mar

Com este tipo de construção maximiza-se o investimento e evitavam-se casos como o estádio do Algarve, em que ficamos com um elefante branco entre mãos no final do Euro 2004 e pouco ou nenhum uso lhe damos.

No entanto, este tipo de construção pode ser visto com maus olhos pelas construtoras pois ameaça o seu volume de vendas, uma vez que para os grandes eventos passariam-se a usar os mesmos estádios. Acabariam assim as grandes construções de estádios que ocorrem periodicamente a cada 2 anos.

Irá o projecto para bom porto?´

Fiquem com algumas imagens:

 

Read more

Download de Regulamentos

RCCTE – Regulamento das Características de Comportamento Térmico dos Edifícios;

RSECE – Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização em Edifícios;

RRAE – Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios ;

RSCI – Regulamento Segurança Contra Incêndio;

Portaria 1532/2008 de 29 de Dezembro (Segurança Contra Incêndio)

RGR – Regulamento Geral do Ruído;

RGEU – Regulamento Geral de Edificações Urbanos

Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de
Drenagem de Águas Residuais

 

Código dos Contratos Públicos

O sempre útil Decreto-Lei n.º 18/2008 de 29 de Janeiro pode ser descarregado aqui.

Este Decreto-Lei aprova o Código dos Contratos Públicos (CCP), que estabelece a disciplina aplicável à contratação pública e o regime substantivo dos contratos públicos que revistam a natureza de contrato administrativo.

10 Edifícios Mais Altos do Mundo

Alguns links interessantes

São apresentados aqui alguns links que podem ser úteis a qualquer engenheiro civil/estudantes de engenharia. Coloquem já nos favoritos os que podem vir a interessar:

AECOPS – Associação das Empresas de Construção e Obras Públicas

AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas

AICE – Associação dos Industriais da Construção de Edificios

ANET – Associação Nacional de Engenheiros Técnicos

APRH – Associação Portuguesa de Recursos Hidricos

APCMC – Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção

APEB – Associação Portuguesa de Empresas de Betão Pronto

APPC – Associação Portuguesa de Projectistas e Consultores  

DGOTDU – Direcção-Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano

ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos

FEPICOP – Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas

GECORPA – Conservação e Restauro

IAPMEI – Instituto de Apoio a Pequenas e Médias Empresas

INAG – Instituto da Água

INE – Instituto Nacional de Estatística

LNEC – Laboratório nacional de Engenharia Civil

LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia  

OE – Ordem dos Engenheiros

SNIRH – Sistema Nacional de Informação de Recursos Hidricos

Maiores empresas de construção apostam no estrangeiro

Houve uma quebra de 2,6% em Março no sector da construção comparativamente com o período homólogo (dados Eurostat). Além disso nos últimos 15 meses 1222 construtoras pediram a insolvência (dados AECOPS).

Quem contraria esta tendência negativa da construção civil são as três maiores empresas portuguesas:  Mota-Engil, Soares da Costa e Teixeira Duarte que conseguem tirar os proveitos de investirem no estrangeiro.

A Mota-Engil aumentou o seu lucro em 2,9 % no primeiro trimestre deste ano para 3,1 milhões de euros e aumentou o seu volume de negócios 6,5 % para 431 milhões de euros.

A empresa Soares da Costa aumentou o lucro em 2010 (únicos dados disponíveis). No ano passado, a construtora lucrou 15,6 milhões de euros, uma subida de 36 % face ao 2009, enquanto o volume de negócios caiu 5% para 893,5 milhões de euros.

Já a Teixeira Duarte, apesar de ter visto os seus lucros diminuir em 60,6 % entre 2009 e 2010 (últimos dados disponíveis), atingindo os 46 milhões de euros, registou um aumento no volume de negócios de 4,5 % face a 2009, atingindo 1,3 mil milhões de euros, com o Brasil a assumir-se como o mercado com melhor desempenho.

‘Melhor’ aluno 2010 chegou à faculdade sem acabar o liceu

Embora a notícia não tenha directamente a ver com Engenharia Civil, fica aqui a notícia que revela como os critérios de admissão á Universidade são ridículos.

Tomás Bacelos foi aluno com melhor média de 2010 e nem sequer finalizou o ensino secundário.

Como? Simples: Novas Oportunidades.

Assim, em meses conseguiu equivalência ao 12.º ano que lhe estava a custar tanto fazer. Fez o exame de Inglês, tirou 20 e foi para a Universidade de Aveiro tirar o curso de Tradução.

Ele ainda tentou fazer o exame de Biologia, mas o melhor aluno do país apenas conseguiu 7,4 valores.

Ou seja, disputou as mesmas vagas e concorreu em igualdade de circunstâncias com os outros, mas foi claramente beneficiado. A lei permite, e o jovem até admite que beneficiou de uma injustiça.

De facto, este jovem nãotem culpa nenhuma. Os maiores culpados são aqueles que permitem tais coisas.

O Tomás tirou o lugar a um aluno que tinha de média 14,4 valores. Justo? Não me parece.

Notícia completa aqui.

ENEC 2011

Realiza-se no próximo dia 21 de Maio o ENEC 2011 – Encontro Nacional de Engenharia Civil (Não confuncir com ENEEC) na FEUP.

A custo da participação nesta actividade organizada organizado anualmente pelo Colégio de Engenharia Civil da Ordem dos Engenheiros varia entre os 15€ e os 30€.

Será atribuído um Certificado aos participantes.

Existe transporte gratuito de Coimbra e Lisboa. Informem-se aqui.