ANET e o Exercício de Engenharia no Brasil

Depois da Ordem dos Engenheiros, também a Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos se encontra em negociações com a CONFEA para celebrar um protocolo que facilite o processo de integração de engenheiros técnicos no Brasil,

A CONFEA, para quem não sabe, é o Conselho Federal de Engenharia, Arquitectura e Agronomia.

Estas diligências tiveram como origem um elevado número de engenheiros técnicos que pretendem exercer a sua profissão no Brasil.

Este assunto vai ser discutido entre 29 de Junho e 1 de Julho, em sessão plenária ordinária.

5 comments

  1. Filipe diz:

    Acho isto muito bem. Sou engº técnico, pretendo trabalhar no Brasil e só ainda não o faço devido à burocracia pesadíssima. Quem acha que Portugal tem burocracia ingrata, vá ao Brasil e irá ver o que é burocracia!
    Depois, estes procedimentos parecem-me inadequados, uma vez que os Estados Português e Brasileiro celebraram, por alturas de 2001, um convénio no qual reconheciam, reciprocamente, os diplomados em Universidades Estaduais. E agora??…
    A verdade é que o Brasil tem uma grande carencia de engenheiros, nomeadamente no que se refere à construção civil…

    • É a tal coisa… Precisam de engenheiros mas não vejo nenhum anúncio de empresas brasileiras aqui à procura. E conheço gente que enviou 1001 currículos para empresas brasileiras e obteve 0 respostas.

      • Jonas diz:

        Propaganda de mais fizeram a vocês.
        As empresas vão buscar engenheiros na porta da faculdades, só que faculdades Brasileiras.
        Dificilmente alguém vai chamar um engenheiro aí em Portugal para vir aqui.

        Não é nada contra os portugueses, e sim pela distância, adaptação, etc…

  2. Liliana diz:

    Quem quer trabalhar no Brasil tem que procurar anúncios de lá!!! Aqui aparecem, mas são extremamente raros!

    Se lá precisam e nós aqui sobramos… Porque não?

    Mas não se iludam que vão ficar ricos! Por algum motivo os Brasileiros não estão a tirar o curso… Há que se informar primeiro da situação da classe por lá!

  3. Sergio Cruz diz:

    O Brasil tem muitos engenheiros e continuam a forma-los. A questao é que uma elevada percentagem nunca exerceu a profissao pq nao haviam oportunidades e hoje sao pessoas com 40 ou mais anos de idade e nenhuma empresa os quer pq nao tem qualquer experiencia, ou seja, tem quantidade mas nao qualidade.
    E o problema da demora e dificuldade de entrarmos nao se deve somente ao CREA mas principalmente às faculdades que demoram a reconhecer os cursos e em alguns casos nem os reconhecem…mas neste problema nao vejo ngm actuar. Protocolar com o CREA resolve uma pequena parte do problema…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *