Alguém acredita no mérito??

Hoje numa visita ao Facebook deparo-me com um desafabo de uma professora de faculdade (que por acaso foi minha) cujo contrato não lhe foi renovado.

Por acaso até tenho boa impressão desta professora pois além de explicar-se bem (por vezes é raro numa universidade), era esforçada e muito acessível. Fará sentido não renovarem com uma professora que tem provas dadas e manter professores de qualidade duvidosa (sim, porque também os há!).

Mesmo nas empresas, este tipo de injustiças é frequente. Fará sentido mandar um engenheiro bom embora e manter “cepos com dois olhos” a trabalhar? Quem nunca conheceu um caso destes?

No meu caso pessoal também estou quase a acabar contrato e as espectativas de renovação não são muitas. Fará sentido andar a trabalhar de sol a sol para daqui a pouco tempo levar um chuto naquele sítio que todos nós sabemos?

Muitas pessoas vêem o que me esforço no dia-a-dia para levar a bom porto todos assuntos, para cumprir o estipulado, vêem o que me chateio com a inércia de algumas pessoas e estranham a minha motivação atendendo a que estou em risco de não ver o meu contrato renovado.

Vale a pena? Vale sempre a pena, quando a vontade não é pequena! Apesar de saber que o mérito não é reconhecido, temos que ter um brio profissional e estar sempre com a consciência tranquila de que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance.

Pode ser que um dia recebamos uma medalha de cortiça, já que não há dinheiro para mais.

 

4 comments

  1. Filipe diz:

    Acredito pois. Se fizeres swaps das boas acabas a ministro das finanças. Se acertares nas previsões do défice e desemprego, etc acabas com um lugar de comissário europeu. Se passaste a vida a colar cartazes para as eleições acabas a primeiro ministro. Tudo mérito.

    Mais a sério, não, não acredito. Hoje em dia ainda menos. Safam-se os que têm cunha/conhecimentos.

    • Vieira diz:

      Estou totalmente de acordo com o comentário do Filipe. O que conta são as cunhas, podes ter mais habilitações, melhor curriculum, entre outras coisas… Mas no fim quem tem a cunha é que se safa! É a triste realidade do nosso país.

  2. Sofia diz:

    Olá! Como eu o compreendo… Eu também sofri do mesmo. Neste momento, encontro-me desempregada e com o sentimento de que não valeu a pena o meu esforço. Não, não vale a pena o esforço, pelo menos neste momento, a não ser que tenha uma boa cunha e pertença a um bom partido político! Desculpem-me por dizer isto, mas é mesmo este o meu sentimento.
    Boa sorte a todos os meus colegas que se encontram na mesma situação que eu.

  3. ES diz:

    É lamentável mas é uma situação frequente no nosso País! E no Ensino Superior se o professor é amigo do diretor de curso ou da faculdade faz o que quere lhe apetece e está sempre bem! Se não o é, está sempre a ser avaliado e mesmo sendo um professor exemplar vão arranjar maneira de o pôr fora para arranjar o tacho para outro amigo (que por vezes nem tem capacidades para dar a disciplina)! É lamentável mas é o País que temos, e os Doutores que temos (na faculdade não se ensinam valores, senão estes senhores nunca chegavam a ser licenciados sequer)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *