Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros regressa em 2016 na cidade de Lisboa

CIJE_2O CIJE`14 – 2º Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros realizou-se, no passado dia 21 de março, na Corunha, em Espanha. Esta iniciativa, organizada em conjunto pela Ordem dos Engenheiros Região Norte e pelo Colegio de Ingenieros de Caminos, Canales y Puertos (Galiza), reforçou ainda mais o conceito de engenharia ibérica ao nível dos jovens engenheiros e fomentou as relações transfronteiriças e a partilha de oportunidades entre Portugal e Espanha, desafios que se impõem cada vez mais nos dias de hoje perante as dificuldades da economia dos dois países.

Fernando de Almeida Santos, Presidente da Ordem dos Engenheiros – Região Norte, durante a sua intervenção lembrou que ”é necessário trazer para o debate os jovens engenheiros, pois o futuro está nas suas mãos”. Conhecedor da realidade da profissão em Portugal, o responsável da OERN, mostrou-se preocupado com o caminho que a engenharia tem tomado no nosso país. “A conjuntura atual tem levado muitos jovens qualificados a abandonar o país, é necessário incentivar esta saída num contexto de internacionalização, que traz retorno, e não de emigração”, referiu.

Bento Aires, Responsável pela Organização Portuguesa, afirmou que a internacionalização é uma realidade da engenharia que não pode ser menosprezada. “Podemos dizer que a engenharia não tem passaporte. Dentro da internacionalização, Portugal e Espanha terão muito a ganhar se souberem colocar o seu soft power ao serviço da sua economia, sendo a engenharia o ponto de reforço e o principal motor da capitalização dessa promoção“, adiantou.

Alberto Nuñez Feijóo, Presidente da Xunta de Galicia, José María Arias Mosquera, Presidente do Banco Pastor e Juan Antonio Santamera Sánchez, Presidente do Colegio de Ingenieros de Caminos, Canales y Puertos foram alguns dos oradores presentes. Na generalidade, os oradores defenderam a necessidade de mudança das estratégias dos dois países com a aposta no desenvolvimento tecnológico, alicerçado em competências de engenharia, e a necessidade de apostar no setor primário e no desenvolvimento de soluções altamente inovadoras que permitam vencer as fragilidades com a diferenciação de produtos.

No rescaldo do evento, que contou com a presença de muitos jovens portugueses, Fernando de Almeida Santos referiu que o saldo do CIJE´14 foi “bastante positivo”, destacou ainda a “colaboração frutífera entre as duas instituições, com estratégias comuns de intercâmbio e de reconhecimento mútuo”.

Dentro da cooperação transfronteiriça já encetada entre a Ordem dos Engenheiros e o Colégio de Ingenieros de Caminos, Canales y Puertos, as duas associações profissionais darão continuidade ao Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros, em 2016, na cidade de Lisboa.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *