Salário do Eng. Civil – Prespectiva do Construtor

“Sou engenhesalarioiro, mas vou deixar aqui a perspectiva do construtor civil, cargo que exerci também:
– Em 1º lugar, as empresas de construção são privadas. Embora haja contratos colectivos de trabalho para o sector da construção, é preciso compreender que ser engenheiro civil não é ser funcionário público. Comecei por este ponto porque infelizmente deparo-me como muita gente que acha que só porque obteve uma licenciatura e/ou fez um curso numa universidade estatal, já lhe confere um estatuto de VIP ou funcionário público.
– Em 2º lugar, é preciso aceitar que quantos mais engenheiros, mais oferta existe, logo as remunerações são afectadas.
– Em 3º lugar, os engenheiros e as respectivas associações representativas também deviam exigir que os preços praticados na construção fossem devidamente actualizados. Os preços que hoje são orçamentados são iguais ou inferiores aos de 10 anos atrás… assim é dificil aumentar os trabalhadores, incluindo os engenheiros civis. Ninguém faz nada, só pensam em actualizar salários, fazer formações, fazer conferencias, etc.
– Em 4º lugar, o SMN quando aumenta afecta prioritariamente os trabalhadores que recebem o SMN, ou seja serventes. A margem das empresas para aumentar engenheiros é muito reduzida, pois o SMN é actualizado todos os anos, afectando a massa salarial.
– Em 5º lugar, em vez de andarem só a investir em engenheiros civis, deviam também investir na formação de quadros técnicos intermédios, os chamados encarregados de obra. Há poucos encarregados de obra e esses recebem em geral bem e muitas vezes melhor que os engenheiros civis, porque esses percebem efectivamente de obras, com a vantagem de saberem lidar com os trabalhadores, sendo duros se necessário. Perdi a conta aos milhares de dicas de encarregados de obras, e Às dezenas de acidentes evitados pela experiência e talento de encarregados de obra. Não me admira nada que haja mais engenheiros civis que encarregados de obra… o que não faz sentido…
– Em 6º lugar, quando se paga um salário acima da média a um engenheiro civil, espera-se que ele também seja leal, faça algumas horas extras quando necessário sem andar a exigir sempre pagamento de todos os minutos extra, que durma aqui ou acolá quando necessário, ou aceite as boleias de carrinhas da empresa ou use o seu carro pessoal. Li aqui alguns comentários sobre carros que me fizeram rir. As empresas não são obrigadas a dar carro, e as que dão esperam algo em troca”

Carlos Dias, Texto recebido na caixa de comentários.

5 comments

  1. CR77 diz:

    É a perspectiva de anos e anos.

    As profissões deviam ser pagas conforme o grau de responsabilidade.

    No caso do engenheiro civil, ele é responsável pelo que faz durante toda a vida.

  2. Adilson Vigário diz:

    Obrigado pela informação. Bom trabalho

  3. Marco diz:

    A questão do “6º lugar” tem muito que se lhe diga. Se a média for 600 … 800 já é muito acima da média … assiste-se nos dias de hoje a muita exploração. No entanto, só é explorado quem quer …

    O resto dos pontos, tem muitas verdades acopladas.

    As ordems … são uns clubes que se limitam a manter uns quantos tachos … de alguma utilidade reduzida.

  4. José Campos diz:

    Bom dia,
    deixo algumas observações a este texto, que parece um pouco escrito ao correr da pena.
    1º Para alguém formado em civil a escrita em português não me parece uma capacidade bem desenvolvida, pelo menos neste texto;
    2º Os ordenados dos engenheiros civis nada têm a ver com o SMN;
    3º Os encarregados também estão em obra para garantir que não ocorrem acidentes, pelo que não se compreende a observação;
    4º As ordens são a imagem da classe, não são melhores porque os profissionais inscritos não intervêm na exigência de melhorias;
    5º Considerar que o ordenado de 1 engenheiro civil inclui horas extra, não é mais do que uma simples exploração declarada! O ordenado inclui os deveres e direitos instituídos pela CCT. Pelo que as horas extraordinárias devem ser pagas de acordo com o CCT!
    Este texto demonstra muito do nacional ‘porreirismo’ que se vive em Portugal desde o 25 de Abril. E termino por aqui para o meu comentário não ser mais extenso que o texto que lhe deu origem…

  5. Antonio Santos diz:

    Grande lata que você tem. Das duas uma ou é encarregado ou é empreiteiro porque se fosse engenheiro civil, com uma carga horária no mínimo de 40 horas semanais a receber cerca de 800€ você não falaria assim. Não andamos a investir anos do nosso tempo, bem como do dinheiro dos nossos pais para não sermos valorizados quanto ás restantes profissões.
    E quanto a encarregados valha-me Deus, se durante a execução da obra der problemas a responsabilidade é de quem??? se o projeto estiver mal executado e em obra der problemas de quem é a responsabilidade??
    O encarregado paga seguros de responsabilidade civil???
    Quanto ao ponto 3 não compreendo, como é que se queixam os empreiteiros que o valor da empreitara é baixo, mas depois passam a vida a encher o a barriga aos donos da obra… têm é que renunciar a execução da obra ou fazer queixa que os valores praticados estao abaixo do mercado…
    quanto a horas extra, sabe o que são leis querido… claro que sabe…mas so para seu beneficio…

    Gente como voce nunca na vida devia ser patrao mas sim empregado a trabalhar no duro durante toda a semana, assinar responsabilidades e no fim receber o ordenado minimo…

    Triste…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *