Afinal faltam engenheiros ou estão todos a brincar às notícias?

Em 2015, o DN publicou uma notícia que dava conta da baixa empregabilidade do curso de engenharia civil.

Nesse artigo, o Bastonário da Ordem dos Engenheiros alertava que com «”os indícios de que a construção civil está a evoluir positivamente”, poderá, a médio prazo, existir falta de profissionais em Portugal.»

Em 2017, mais propriamente há 7 meses, o DN publica nova notícia em que o curso de engenharia civil continua destacado nesse indicador.

O Bastonário volta a confirmar a informação e lança novo alerta relativo à falta de profissionais a médio prazo. «”Houve uma diminuição de cursos substancial, talvez em demasia. De tal forma que um dia destes vamos ter défice de engenheiros civis e vamos ter de importá-los.”»

A preocupação do Bastonário é compreensível: as faculdades reduziram o número de vagas em Engenharia Civil, porque o curso tinha baixa empregabilidade e consequentemente menor procura. Menos profissionais, menos quotas, menos poder.

Não é por isso novidade nenhuma que o coordenador do Colégio de Engenharia Civil da Ordem dos Engenheiros da Região Norte, contactado ontem pelo Jornal de Notícias, tenha novamente dito que “em breve, vamos estar a importar mão-de-obra e a abrir o mercado da construção civil a empresas estrangeiras”.

Sempre foi este o discurso da Ordem, mesmo tendo em conta que de 2015 para 2017 o cenário de empregabilidade não se alterou, continuando a ser um curso destacado pela negativa nesse aspecto.

O que é estranho é o Jornal de Notícias – jornal do mesmo grupo que o Diário de Notícias – transformar o que é um discurso corporativo na manchete “Portugal tem falta de engenheiros civis”.

Temos? Então e os engenheiros civis que saíram diretos para o desemprego nos últimos anos? Já estão todos empregados e ninguém noticiou?

Para os licenciados em Engenharia Civil no desemprego – ou para aqueles a ganhar pouco mais que o salário mínimo – esta é certamente uma notícia inesperada.

Não sabemos se esta notícia é um favor à Ordem dos Engenheiros ou apenas mais um exemplo de um título criado na hora sem qualquer preocupação de rigor. Não sabemos nem podemos perguntar, porque a notícia nem vem assinada.

O que é certo é que nem sequer a Ordem dos Engenheiros vai tão longe: mantém sempre o discurso do “em breve”, que já vem de 2015.

Para o JN, contudo, foi suficiente para declarar a falta de engenheiros civis em Portugal.

Aumentem-se as vagas! Acorram aos cursos! Em 2018, cá estaremos para ler a notícia do DN sobre a empregabilidade do curso de engenharia civil.

Links:

DN 2015: https://www.dn.pt/…/engenharia-e-arquitetura-sao-os-cursos-…

DN 2017: https://www.dn.pt/…/engenharia-civil-e-psicologia-sao-os-cu…

JN 2017: https://www.jn.pt/…/portugal-tem-falta-de-engenheiros-civis…

Texto retirado da página de Facebook “Truques da Imprensa Portuguesa”

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *