Obra de 134 Milhões de euros em Portugal

O Primeiro-Ministro vai lançar esta segunda feira concurso para aquela que será a maior obra deste mandato: a requalificação do IP3.

Estas tão reclamadas obras de melhoria na ligação rodoviária entre Viseu e Coimbra no IP3 servirão  para acabar com os elevados índices de sinistralidade rodoviária desta via.

Esta via não será portajada nem sequer concessionada.

A duplicação que iria ser necessária para dotar o traçado com duas vias em cada sentido não poderá ser executada em todos os 75 quilómetros de extensão do percurso, pelo que só 85% deste ficará com perfil de auto-estrada. Mesmo assim, os estudos do governo apontam para uma expressiva redução da sinistralidade e para uma diminuição do tempo de percurso na ligação entre Coimbra e Viseu, que hoje se faz em 65 minutos, em cerca de 22 minutos.

Vai ser feito o lançamento do primeiro concurso para a empreitada de reabilitação do primeiro de três troços, e que implica a intervenção em cerca de 14 quilómetros, entre o Nó de Penacova e a Ponte do rio Dão /Nó da Lagoa Azul. Para as obras neste primeiro troço (que deverão arrancar no primeiro semestre de 2019) o orçamento previsto é de 15 milhões.

Será também anunciado o concurso para a execução da duplicação da via entre Coimbra (Souselas) e Viseu.

O investimento global da obra será de 134 milhões de euros. E o primeiro troço a avançar é aquele que não vai beneficiar da duplicação da faixa. por razões orográficas.

De acordo com o projecto da Infraestruturas de Portugal, cerca de 3% do traçado do “novo” IP3 vai manter o perfil de apenas uma via em cada sentido. Cerca de 12% do traçado terão um perfil 2×1, ou seja, terão em algumas faixas, duas vias de circulação, e uma na outra. A velocidade de circulação permitida não poderá ultrapassar os 90 quilómetros/hora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.