Curso de Projecto de Acústica de Edifícios

Caros Colegas,

Informamos que a Log(Acústica), Consultores Associados, empresa de Engenharia especializada em Acústica, Ruído e Vibrações nas componentes Ambiental e de Edifícios, se encontra a organizar conjuntamente com a entidade formadora Schumal, dois cursos de Projecto de Acústica de Edifícios, um no Porto e outro em Viseu, que irão ter início respectivamente nos próximos dias 9 e 12 de Julho.

Ambos os cursos terão a duração de 28 horas de formação em sala, e incluem como extra duas tardes para o esclarecimento de dúvidas com os formadores nas instalações da Log(Acústica), tendo em vista a elaboração integral de um projecto de acústica de um edifício de habitação e comércio corrente.

Os conteúdos formativos previstos estão direccionados para exemplos práticos relacionados com projectos de acústica de edifícios correntes, sendo a maioria do tempo dedicado à aplicação de métodos de cálculo em situações típicas de projecto e à definição de soluções construtivas adequadas às exigências de conforto acústico de edifícios habitacionais com fracções de comércio nos níveis inferiores.

Nas várias edições já realizadas os formandos formam unânimes em considerar que a frequência do curso foi decisiva para incrementar as suas competências profissionais nesta área, tendo-lhe atribuído em média uma nota global superior a 90%.

Destinatários

Engenheiros; Arquitectos; Finalistas dos cursos de Engenharia e Arquitectura; Quadros superiores das empresas do sector da construção.

Programa Detalhado
– Introdução à Acústica e ao Projecto de Acústica.
– Noções Base de Acústica e Legislação.
– Cálculo de Elementos Simples e de Elementos Duplos.
– Pré-Dimensionamento de Soluções Construtivas.
– Isolamento Sonoro a Sons Aéreos Exteriores e a Sons de Percussão.
– Isolamento Sonoro a Sons Aéreos Interiores.
– Critérios e Desenvolvimento do Projecto.
– Ruído de Equipamentos.
– Tempo de Reverberação.
– Dúvidas de Projecto e Soluções Construtivas.

Formadores

O curso será ministrado por dois formadores com cerca de dez anos de experiência profissional em Acústica, Ruído e Vibrações, incluindo Projecto e Consultoria em Acústica de Edifícios, Acústica de Salas, Acústica Ambiental e Acústica Laboratorial, tendo exercido a sua actividade profissional em empresas privadas e laboratórios. São membros de diversas organizações profissionais entre as quais destacam a OE, a ANET e o IOA (UK).

Informações
www.logacustica.com/servicos/formacao.htm / geral@logacustica.com

Inscrições
www.schumal.com / geral@schumal.com

Custo
340 € (IVA incluído).

Guest Post do Eng. Tiago Ferreira

Prémios Construir 2011

Está aberta a votação para aqueles que mais se destacaram no sector da Construção,  Arquitectura, Engenharia e Imobiliário em mais uma edição dos Prémios Construir 2011.

A entrega destes prémios decorrerá no próximo dia 11 de Julho, no Casino de Lisboa, Parque das Nações.

As votações decorrerão até 7 de Julho, sendo necessário ser assinante ou subscritor da Newsletter do Jornal Construir, bastando para isso que introduzir o endereço de mail da subscrição.

Quem quiser mais informações consulte o site oficial, aqui.



Atalhos AutoCAD

No seguimento do post de ontem, publicam-se hoje uma listagem de atalhos utilizados no AutoCAD. Estes atalhos permitem amentar a velocidade de trabalho

3A, *3DARRAY
3DO, *3DORBIT
3F, *3DFACE
3P, *3DPOLY
A, *ARC
AC, *BACTION
ADC, *ADCENTER
AA, *AREA
AL, *ALIGN
AP, *APPLOAD

Read more

Comandos AutoCAD

Uma vez que nem todos podem tirar um curso de AutoCAD, é necessário ser um auto-didacta na aprendizagem deste software. Apresentam-se aqui alguns comandos mais utilizados no programa AutoCAD.

A, *ARC -> Desenha arcos. Deve-se sempre considerar o sentido anti-horário para o desenho dos arcos.

ADC, *ADCENTER -> O AutoCAD DesignCenter (ADC), semelhante ao Explorador do Windows, apresenta uma janela com um interface intuitivo no qual pode pesquisar os conteúdos dos desenhos. Com o AutoCAD DesignCenter pode visualizar listas do conteúdo dos desenhos tal como de blocos, layers, estilos de texto, de outros desenhos. Pode simplesmente arrastar e largar qualquer um destes conteúdos para um qualquer desenho aberto

AA, *AREA -> Informa a área e o perímetro de figuras definidas por pontos ou por polilinhas.

B, *BLOCK -> Este comando cria uma entidade “bloco” com as entidades seleccionadas. Este bloco criado existe somente no desenho em edição.
Obs: É possível redefinir um bloco no desenho, refazendo o bloco utilizando o mesmo nome.

BR, *BREAK -> Quebra linhas, polilinhas, círculo ou arco num ou dois pontos.

C, *CIRCLE -> Desenha círculos pelo centro e raio; centro e diâmetro; 2 pontos; 3 pontos; duas tangentes e raio e três tangentes.

CP, *COPY -> Copia uma entidade ou um grupo de entidades seleccionadas de um ponto base para um ponto final. A opção multiplus permite a cópia do mesmo objecto várias vezes.
Obs: A opção COPY WITH BASE POINT é muito útil para copiar um objecto para outra parte do desenho tendo um ponto de referência. Igualmente útil é a opção COLAR COM AS COORDENADAS ORIGINAIS, que permite colar uma entidade num ambiente de trabalho novo, mantendo a sua localização espacial.

DI, *DIST -> Informa a distância entre dois pontos.

DIV, *DIVIDE -> Divide uma entidade em segmentos iguais. Seleccione uma entidade e depois introduza o número de segmentos que deseja.

Read more

Engenharia Civil é difícil?

Muita gente tem-me perguntado por e-mail se o curso de Engenharia Civil é difícil. A resposta é curta e simples: NÃO é difícil!

Existe um mito de que as engenharias são cursos que facilmente se entra e que dificilmente se sai. Na minha opinião isso é mais mito que realidade. Quando se está num curso que se gosta (mesmo que se apanhe algumas disciplinas que não servem praticamente para nada), aprende-se com facilidade e praticamente não é preciso estudar.


No entanto, há que ter cuidado com os primeiros anos com as matemáticas para que se evite  começar o curso “manco”. É um facto que quem começa “manco” terá mais dificuldade em acabar o curso em 5 anos (ou 3 dependendo do curso).  Se se deixa duas ou três disciplinas no primeiro ano aquilo pode transformar-se numa bola de neve incontrolável. É preciso também ter cuidado com uma ou outra disciplina de 3º e 4º anos que nos pode fazer tropeçar.

Obviamente que a maior ou menor dificuldade vai depender da pessoa. Enquanto que para o Ronaldo jogar futebol é muito fácil, para mim que tenho dois pés esquerdos é bem mais complicado. Num curso de engenharia é a mesma coisa. Uns vão ter mais aptidão que outros. Daí que uns vão ter mais dificuldades do que outros. E esses vão ter que estudar mais não há volta a dar.

O segredo para se tornar fácil um curso de engenharia civil? Nunca faltar a nenhuma aula prática. São neste tipo de aulas que se aprende realmente aquilo que é necessário saber. As teóricas, por sua vez, também são importantes. No entanto considero estas últimas mais dispensáveis que as práticas.

Claro que toda a gente conhece gente que não consegue acabar o curso no período de tempo previamente estabelecido. Porquê? A maioria não se adaptou bem à universidade nos primeiros anos. Outros baldaram-se às aulas.

Se a pergunta fosse: “é fácil tirar boas notas em engenharia civil?”. Aí a minha opinião seria ligeiramente diferente.

Conclusão: o curso de engenharia civil não é nada difícil. É preciso ter cuidado com algumas disciplinas, mas não é nada de muito extraordinário. Vão às aulas, estejam atentos e façam bons apontamentos. Depois correrá tudo bem!

Soutiens e a sua importância na acústica

Soutiens usados estão a ser recolhidos para serem posteriormente reciclados e utilizados em painéis isoladores e de absorção sonora.

Intimissi e Triumph foram as duas empresas que adoptaram este tipo de estratégia. A marca italiana desconta 3€ no processo de retoma, enquanto a alemã desconta 5€.

Segundo representantes do Grupo Calzedonia, detentores da Intimissi, estes foram a primeira marca de roupa íntima a promover a reciclagem de soutiens, para produção de painéis absorventes e isoladores de som capazes de atenuar vários tipos de poluição sonora e de assegurar excelentes performances a nível sonoro. Por outro lado, representantes da Triumph alegam que esta prática é da sua autoria, tendo sido lançada em 2009 na Alemanha.

Em Portugal, o conceito apenas chegou em Março de 2010 e segundo os representantes das marcas tem sido um sucesso.

Os soutiens recolhidos pela Intimissi são entregues à empresa OVAT Campagnari SRL, “líder na recolha e recuperação de materiais” sendo depois transformados em painéis acústicos.

Matrículas a novos tipos de Máquinas Industriais

No âmbito do processo gradual de atribuição de matrículas às máquinas industriais, previsto na Deliberação n.º 781/2008, de 18 de Março de 2008, foi publicada a Deliberação n.º 1249/2011, de 8 de Junho, a qual vem autorizar a atribuição de matrícula às máquinas constantes no anexo I do Decreto-Lei n.º 107/2006, de 6 de Junho (Regulamento de Atribuição de Matrícula a Máquinas Industriais), com a excepção das Retroescavadora (RE) e das Auto-grua (AG). Recorda-se que o prazo para a atribuição de matrícula destes dois tipos de máquinas industriais decorre até 31-12-2011, segundo a Deliberação n.º 1985/2010, de 4 de Novembro.

 

Nestes termos, inicia-se a partir de 8 de Junho de 2011 o processo de atribuição de matrícula das seguintes máquinas:

 

  • Autobetoneira (AB);
  • Autovarredora (AS);
  • Bomba lança betão (BL);
  • Cilindro compactador (CC);
  • Escavadora (ES);
  • Empilhador (EM);
  • Grupo compressor (GC);
  • Grupo gerador (GG);
  • Marcador de rodovia (MR);
  • Motoniveladora (MT);
  • Pá carregadora (PC);
  • Perfuradora (PE);
  • Plataforma elevatória (PL);
  • Pavimentadora (PV);
  • Tractor industrial (TI);
  • Unidade de transporte (UT).

Para consultar a Deliberação nº1249/2011. de 8 de Junho, clique aqui.

in AICCOPN

ConstruGomes

A ConstruGomes é uma empresa especializada em construção de pontes, túneis e barragens. Têm uma vasta experiência neste tipo de obras como pode-se comprovar nos diversos links apresentados.

O  seu último catálogo pode ser visualizado aqui.

A revista “Bridge Design and Engineering” onde aparecem 4 obras executadas pela ConstruGomes pode ser consultada aqui.

Destaque da revista “Construir” da obra do Marão pode ser vista aqui.

Depois, fica aqui um link de consulta obrigatória onde se apresentam algumas das soluções construtivas que a ConstruGomes  executa, com fornecimento dos equipamentos.

– Carros de avanço até 450ton por aduela, até 200m de vão e até 30m de largura.
– Vigas de lançamento até 90m de vão
– Lançamento incremental até 80m de vão
– Cimbres até 40m de altura
– Sistemas trepantes e auto-trepantes
Entre outros sistemas construtivos

Guest Post do Eng. Miguel Barreto

Humor com Desemprego

O caso bicudo dos recém licenciados

Todos sabem que os recém licenciados (ou recém mestrados) são mal pagos, mas a culpa é de quem?

Na minha opinião, não é dos patrões. Eles têm que obter algum lucro e vão tentar ter a melhor competência pelo melhor custo. Porque é que haveriam de oferecer 1500 ou 2000 euros a um engenheiro acabado de sair da Universidade quando encontram alguém com as mesmas competências que aceita trabalhar por 750 euros (ou menos, mas aí já roça a exploração). Ponham-se também na posição do patrão.

Reparem ainda que quando saem da Universidade pouco ou nada sabem fazer. Ainda irão demorar algum tempo até entrarem nas rotinas.

“Pouco pão para muitos esfomeados” pode ser uma boa definição para este problema. Se há pouco pão para muitos esfomeados, quando a fome aperta, muita gente se oferece por migalhas.

Penso que já foi defendido aqui pelo administrador do blog que se devam reduzir as vagas no curso de Engenharia Civil. De facto, anualmente saem para o mercado de trabalho (ou para o desemprego) muitos mais engenheiros civis que o mercado consegue absorver. O curso de engenharia civil está a tornar-se banal e agora qualquer universidade ou instituto o tem (acho que até a escola de condução daqui da esquina tem o cursos de engenharia civil). Estão-se a criar sonhos a pessoas que serão destruídos. Muitos dos que estão a sair da universidade vão ter que ir para outras áreas que pouco ou nada têm a ver com engenharia civil.

Queria também deixar uma crítica aqueles estudantes que se fazem de coitadinhos com as novas regras das bolsas de estudo. Diziam que iam ter que desistir do curso porque não tinham forma de sobreviver com os cortes efectuado. Esses mesmos estudantes (e falo do que sei) são os mesmos que os apanhei muitas vezes na noite a gastar verdadeiras pipas de massa. São aqueles que residiam a 20 quilómetros da faculdade mas que alugaram um quarto ao lado da faculdade, etc.

Felizmente faço parte daquela fornada que saiu da universidade há 5/6 anos, quando ainda não se notava muito esta estagnação do mercado. Felizmente também fui para uma empresa sólida no mercado que praticamente não sente a crise dada a internacionalização.

Para quem ainda está a estudar dou-vos um conselho: apostem na formação em língua inglesa e francesa. Será um passo de gigante na vossa internacionalização!

Guest-post de: Pedro