Emprego Engenharia Civil

Eis um exemplo evidente de como está actualmente o mercado da construção em Portugal. Isto é um anúncio no maior site português de ofertas de emprego ( NetEmpregos):

Engenheiros Civis M/F – Vaga colocada no passado dia 03 de Fevereiro de 2011

Em virtude de termos recebido um número bastante elevado de emails, ao nosso anúncio publicado no passado dia 03 de Fevereiro e na impossibilidade de darmos resposta a todos eles atempadamente, vimos por este meio agradecer a todos os que enviaram o seu curriculum.

Neste momento a vaga já se encontra preenchida. Contudo, todos os emails recepcionados serão colocados na nossa base de dados interna, para eventuais vagas que venham a estar disponíveis.

O nosso muito obrigada.

Recursos Humanos

Link do anúncio aqui.

(Gentilmente enviado pela Liliana)

Humor: Carta ao Meu Picheleiro

“Caro Sr. Jacinto
Há duas semanas, abri-lhe as portas da minha intimidade, recebi-o de braços abertos e acabei por sair magoado. Usando a sua terminologia, encaro cada relação como uma empreitada chave na mão e tento garantir que tudo corra bem. Mas nunca aprendo. Pois bem, sr. Jacinto, considere-se o meu último professor, eu aprendi a lição.
Quero que saiba, sr. Jacinto, que eu conheci outro picheleiro. Sim, depois de tudo o que se passou entre nós, claro que não o ia chamar a si para me resolver o problema da sanita. Chamei uma empresa e enviaram-me um picheleiro muito bem parecido, transbordava alegria e simpatia e sabia lidar com os outros, fazendo-me sentir um verdadeiro homem. À entrada, o sr. Alves (é assim que ele se chama, para depois não me vir com cenas a perguntar quem é ele) tomou a iniciativa de me estender a mão e pediu-me licença para entrar. Meu Deus, quase perdi a respiração, percebi que tinha um cavalheiro à minha frente e não outro sr. Jacinto. Lembro-lhe que o senhor quando entrou em minha casa não me cumprimentou e nem limpou os sapatos no tapete. E quando chegou à casa de banho eu falava para si e você não me ligava nenhuma, como se pelo facto de eu nunca ter mexido em tubos, torneiras e chaves inglesas, eu não fosse suficientemente homem para si. Pois fique a saber, o senhor Alves até parou de martelar na parede só para eu acabar de falar. Um encanto! Enquanto o senhor me encheu o quarto de cimento e betumes, o senhor Alves trouxe dois panos e cobriu o chão antes de começar a trabalhar. Naquele momento, fiquei totalmente conquistado.
Sr. Jacinto, fique a saber que quem recorre a um picheleiro muitas vezes procura também um ombro amigo que o ouça na sua aflição e lhe dê atenção. Eu quis-lhe contar como descobri a fuga de água, o meu desespero e o senhor nem quis saber.
Mas o que mais me magoou no sr. Jacinto foi quando eu confundi uma anilha com uma bucha o senhor riu com desprezo e abanou a cabeça. Eu feito tolo, como sou demasiado dado, ainda lhe ofereci três cervejas. Claro que o álcool só ajudou a destruir a nossa relação, porque o sr. Jacinto depois das três cervejas até foi rude comigo, quando me berrou para não abrir a torneira e ainda usou expressões como “esta porra”. Pois fique a saber, enquanto não resolver o seu problema com o álcool, se calhar não será capaz de construir uma relação estável. Ao contrário de si, o meu novo picheleiro disse-me que só tomava um copinho à hora das refeições.
Por fora, sr. Jacinto, vê-se o que se é por dentro. O sr. Alves vinha vestido como se fosse para ir ao centro comercial, com um colete bege, uma camisa bordeux, a combinar com uma calcinha de ganga azul escura. É nestas pequenas coisas que se vê um picheleiro. O senhor vinha com umas calças rotas e uma camisola justa toda cheia de tinta, que não o favorecia nada. E sempre com aquele palitinho insuportável na boca. Apetecia-me limpar-lhe os dentes de uma vez com um fio dental e partir esse palitinho em mil bocados. O sr. Alves vinha com o cabelo curto e penteado, como eu gosto, com um bocadinho de gel, que dá aquela aparência húmida. Parecia um engenheiro. Saiba, sr. Jacinto, que engenheiro é aquele que parece. Você entrou-me cá duas vezes a casa com o cabelo cheio de pó e um boné da “Moutados” todo sujo de tinta e cimento.
Mas o pior de tudo foi quando o senhor me veio com a história que não era trolha, que era picheleiro. Eu só gostava de compreender onde acaba o trolha e começa o picheleiro. Se calhar para os outros o senhor já era trolha, mas para mim era só picheleiro. E quando eu o vi a partir um bocado de parede para puxar o tubo para fora, o senhor disse que isso é trabalho de picheleiro, mas quando eu lhe pedi para me substituir um azulejo, o senhor afirmou que isso é trabalho de trolha. Eu acho que o senhor tem duas personalidades e duas caras e o senhor é que tem problemas de identidade. E enquanto não for a um psicólogo tentar resolver isso, não será capaz de descobrir e assumir que tem um picheleiro e um trolha dentro de si. Pois fique a saber que no senhor Alves eu tenho um trolha, um picheleiro e um electricista. Sim, electricista, ele ainda me instalou uma tomada na parede. O Sr. Alves não é apenas o picheleiro mais educado e bem parecido que eu alguma vez conheci, é também um homem muito prendado e versátil.
Pois bem, sr. Jacinto, as coisas entre nós terminaram.
Até sempre

JB

Enviado por e-mail

Sondagem: Emprego como Engenheiro Civil

 

Sondagem terá a duração de uma semana. Partilhem isto no Facebook!

Glossário da Construção Civil

Em jeito de desabafo, uma leitora do blogue Engenharia Portugal afirmou que muitos engenheiros não sabem o que é um “cantaria”. Eu sei que é chocante, mas para muitos “cantaria” é apenas o condicional do verbo “cantar”. Mas esse é apenas um exemplos. Existe inúmeros termos técnico da construção que um engenheiro civil devia saber mas desconhece por completo.

Assim, o Engenharia Portugal disponibiliza a todos os seus leitores um glossário de termos técnicos da construção civil, propriedade do GICEA (gabinete de gestão de iniciativas comunitárias).

Faça download grátis deste útil dicionário da construção civil aqui.

Gateshead Millenium Bridge

A Gateshead Millenium Bridge (não confundir com a Millenium Bridge de Londres) é uma das grandes obras de engenharia do mundo.  Está localizada em Newcastle, Inglaterra.

É uma ponte para circulação pedestre e para ciclistas e tem a particularidade de ser rotativa, para que seja possível a travessia de barcos (até 25 metros) no rio Tyne. Além se servir como passagem entre as duas margens do rio, é também um ponto de interesse turístico.

Devido ao movimento da ponte ser semelhante ao fechar do olho, a Gateshead Millenium Bridge é muitas vezes apelidada Winking Eye (piscar de olhos).

Foi aberta ao público em 2001, sendo apenas inaugurado no ano seguinte pela rainha Elizabeth II.

A equipa de engenheiros responsável pela obra pertencia à Gifford & Partners.

Mais que premiada, esta notável obra de engenharia custou mais de 30 milhões de euros.

Curiosidades sobre o Gateshead Millennium Bridge:

  • Cada rotação demora cerca de quatro minutos.
  • A rotação é efectuada através de oito motores eléctricos, o equivalente a 589 cavalos de potência – mais do que um Ferrari F50 ou oito Ford Focus.
  • A ponte pesa mais de 850 toneladas

Veja a ponte em “acção”:

Técnico em Prevenção de Riscos Laborais

A ESINE está a divulgar um curso que pode ser uma boa alternativa ao curso de técnico de higiene e segurança no trabalho (THST) pois é muito mais barato.

Como o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, todas as formações que possam ser tiradas devem ser encaradas como uma mais-valia.

No sector da construção, este curso é ainda mais importante, uma vez é dos sectores onde o risco assume especial importância.

Entre muitas vantagens, este curso oferece:

  • Acesso 24 horas ao campus virtual;
  • Material Didático;
  • Certificado de conhecimentos.

Isto tudo em menos de 6 meses!

Para mais informações, basta clicar aqui ou no banner e inserir nome e contacto.

Ftool v2.12

Quase todos os estudantes de engenharia civil já o conhecem. FTOOL é um programa muito simples e intuitivo para análise de estruturas bidimensionais. Além disso, é gratuito.

Permite a determinação dos esforços (axial, transverso e momentos) assim como das linhas de influência.

Este software foi criado por Luiz Fernando Martha, professor da Universidade Católica do Rio de Janeiro e pode ser feito o download aqui. Tem sido constantemente utilizado, sendo a versão mais recente a versão 2.12.

Humor: Grande Obra de Engenharia

 

Esta “notável” obra de engenharia portuguesa pode ser visitada em Ermidas do Sado, Santiago do Cacém.

Ordem Engenheiros Contesta Criação da Ordem dos Engenheiros Técnicos

Foi aprovado no passado dia 21 de Janeiro, na Assembleia da República, a redenominação da ANET (Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos) para Ordem dos Engenheiros Técnicos.

A Ordem dos Engenheiros já reagiu, em comunicado, afirmando alguma surpresa com esta decisão por ter sido tomada sem ter sido consultada. Além disso, discorda desta decisão pois entra em conflito com a Lei 6/2008, de 13 de Fevereiro que, no n.º 4 do artigo 2.º, que diz que a cada profissão deve corresponder uma única associação pública profissional.  Todavia, esta decisão teve como base o facto da profissão de Engenheiro Técnico ser autónoma da profissão Engenheiro Civil.

O comunicado da Ordem dos Engenheiros Pode ser consultado na íntegra aqui.

Dispensa Exame Admissão à Ordem dos Engenheiros

Lista de Universidades que dispensam prestação de provas de admissão à Ordem dos Engenheiros para o curso de Engenharia Civil: