Archive for 26/04

Orçamentação por videochamada? Já é possível…

A MELOM quer incentivar os portugueses a aproveitar e otimizarem o tempo passado nas suas casas. Como tal, a empresa líder em remodelação de imóveis em Portugal, acaba de lançar um novo serviço de orçamentação gratuita através de videochamada. Com esta nova funcionalidade, a MELOM pretende continuar a assegurar a resposta a potenciais clientes, lançando um serviço personalizado de aconselhamento e orçamentação à distância, em total segurança.

O novo serviço inclui o contacto personalizado de um técnico especializado na área da obra/remodelação solicitada, que poderá aconselhar o cliente à distância, bem como pedir e ajudar a obter informações (medidas, por exemplo) que possibilitem a apresentação de um orçamento. Assim, a MELOM pretende disponibilizar estimativas de orçamento e aproximá-las o mais possível do valor final, excluindo ao máximo a necessidade de uma visita ao local para efeitos de orçamento final.

Os orçamentos no novo formato poderão ser solicitados em qualquer altura, através do site da MELOM ou através do tlf. 210 332 477. Em 48 horas, o pedido será respondido pela unidade especializada mais indicada para esclarecer todas as questões e apresentar o orçamento.

“Este é um serviço que pretende motivar os portugueses a olharem as suas casas, numa altura em que é tão importante vivermos dentro delas. Pretendemos, sem comprometer a segurança dos clientes e dos profissionais, continuar a assegurar um aconselhamento especializado e o envio de orçamentos, sobre remodelações já sonhadas, anteriormente, e novas ideias, mas também sobre serviços necessários de pequenas intervenções, que podem melhorar substancialmente a qualidade de vida dentro de casa”comenta João Carvalho, diretor-geral da MELOM.

Assim, quem desejar realizar uma obra com a MELOM ou Querido Mudei a Casa Obras (para pequenas intervenções), poderá usufruir deste novo serviço de orçamentação e aconselhamento personalizados, à distância, usufruindo do apoio das cerca de 200 unidades MELOM e Querido Mudei a Casa Obras, de norte a sul do país

Quercus destaca natureza como aliada no combate às alterações climáticas

Na celebração do 50.º aniversário do Dia da Terra, a 22 de abril de 2020, a Quercus sublinha a importância da prevenção de catástrofes naturais, com impactes muito significativos na biodiversidade e nas populações locais e demonstra, com recurso ao projecto europeu ALICE, que esta prevenção pode ter como base soluções naturais. Em Portugal, o foco centra-se na região da bacia do Rio Paiva, assolada pelas cheias de dezembro passado e fogos recorrentes, que nos últimos dez anos atingiram mais de metade da sua área.

Numa altura em que a Comissão Europeia apresentou o Pacto Ecológico Europeu, reconhecendo a importância de uma nova estratégia de crescimento mais verde e mais sustentável da UE e em que a ONU declara a próxima década como a Década para a Restauração dos Ecossistemas, potenciando um combate mais eficaz contra os impactes das alterações climáticas e da perda de biodiversidade, surge o projecto ALICE (http://project-alice.com) que visa melhorar a gestão das paisagens atlânticas, potenciando o uso de soluções baseadas na natureza para melhorar os serviços de ecossistema e a biodiversidade.

Para tal, aposta na implementação de Infraestruturas Azuis e Verdes (IAVs), como a gestão da floresta (recuperação da mata ripícola ou a reintrodução de floresta autóctone em áreas ardidas), entre outras, para prevenir e minimizar problemas relacionados com a qualidade e quantidade da água, proliferação de espécies invasoras, risco de incêndio e os efeitos das alterações climáticas.

Através de uma abordagem participativa, sob a forma de workshops, que envolve entidades e agentes locais e promove a troca de conhecimentos com os cientistas, é possível identificar, não só as potenciais soluções baseadas na natureza a introduzir na região e os seus principais benefícios, mas também os obstáculos para a sua implementação do ponto de vista da governança, do comportamento sociocultural, do conhecimento técnico e do financiamento.

Até ao momento decorreram já dois workshops, dinamizados pela UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro com o apoio da Quercus. Na sequência destes, diversas entidades locais públicas e privadas das áreas de gestão da floresta, administração, turismo, ONGs, entre outras procederam à avaliação e seleção das IAVs mais adequadas para resolver os problemas ambientais prioritários identificados no primeiro workshop, tendo em conta as dinâmicas populacionais e os usos do solo no território. O terceiro e último workshop permitirá aos participantes conhecer os resultados gerados pelo projeto para o caso de estudo português e, com base nestes, discutir os cenários mais favoráveis a desenvolver na região.

A equipa multidisciplinar do projecto está actualmente a desenvolver diversos modelos de previsão da alteração na oferta de serviços de ecossistemas e biodiversidade, face à evolução do uso do solo e à capacidade de resposta às alterações climáticas, procurando perceber os benefícios gerados pela introdução de estruturas azuis e verdes à escala da bacia hidrográfica. Os modelos serão incorporados numa plataforma multimodelo user-friendly (K.Lab), direccionada aos decisores políticos, gestores do território e a todos os que pretendem avaliar a resposta dos ecossistemas e o efeito na oferta dos seus serviços (como a purificação da água ou a mitigação de eventos extremos) e na biodiversidade, face a diferentes cenários, bem como perceber o potencial de investimento na implementação de estruturas azuis e verdes.